Flavio Ricco Autor cobra Globo por exibição de novelas no Viva e Globoplay

Autor cobra Globo por exibição de novelas no Viva e Globoplay

  • Flavio Ricco | Do R7

Marcílio Moraes cobra pelos direitos de exibição

Marcílio Moraes cobra pelos direitos de exibição

Arquivo Pessoal

O autor de “Sonho Meu” e de outros vários trabalhos, Marcílio Moraes, comentou assim o sucesso da novela no Viva:

“Agora vejam vocês. A novela arrebata 2,8 milhões de pessoas por minuto. E eu não ganho nenhum centavo por esta exibição. Temos que mudar isso. É uma questão grave esta. A Globo só paga para os autores por reprises na própria Globo e pelas vendas internacionais das obras. É o que rezam os contratos. Não recebo nada por estas exibições, nem de ‘Sonho Meu’ no Viva, nem de ‘Roda de Fogo’ no Globoplay. Nada”.

Sobre essa questão envolvendo TV paga e streaming, Marcílio disse mais: “Os autores têm este direito assegurado na Europa, na Argentina, no Peru, no México etc. No Brasil, ainda não conseguimos. Mas chegaremos lá”, acredita ele.

“O problema é sério e complexo. Sou presidente de uma associação de direitos autorais dos roteiristas, a GEDAR (https://gedarbrasil.org/ ), cujo propósito é exatamente lutar pelo ‘direito de remuneração’, ou seja, o direito de receber por cada exibição da obra, direito a ser pago pelo exibidor, seja cinema, TV, o que for.”

A GEDAR, inclusive, vai promover um Seminário Internacional sobre o Roteiro, o roteirista e os seus direitos, no próximo dia 22 de setembro.

De qualquer forma, trata-se de um jogo de empurra que vigora há um bom tempo.

A Globo (Produtora) joga a responsabilidade para a Exibidora (Viva e Globoplay).

A coluna consultou o Viva sobre este caso envolvendo Marcílio, mas ainda não recebeu resposta.

Outro lado

Na noite desta terça-feira, dia 31, a assessoria do canal Viva enviou a seguinte resposta à coluna sobre o caso envolvendo o autor Marcílio Moraes:

"Como já informamos anteriormente, a Globo efetua todos os pagamentos referentes aos direitos conexos devidos aos seus talentos, reconhecendo a importância da preservação dos direitos de propriedade intelectual”.

Últimas