Flavio Ricco Roda Viva, da Cultura, soube superar as suas pedras de tropeço

Roda Viva, da Cultura, soube superar as suas pedras de tropeço

Vera Magalhães e Alceu Valença nos bastidores do "Roda Viva"

Vera Magalhães e Alceu Valença nos bastidores do "Roda Viva"

divulgação

A televisão, ao longo dos tempos, sempre reservou espaço para bons programas de entrevistas, no nosso caso, a partir de Silveira Sampaio, médico e jornalista, entre outras atividades, e dono de um estilo todo peculiar.

O nome era “Bate-papo com Silveira Sampaio”, na TV Record. E, isso, na época do tudo ao vivo.

Jô Soares, menino, conseguiu com ele o seu primeiro emprego na televisão. E teve, como se vê, a quem puxar.

Outros tantos, no mesmo padrão ou com pequenas variações, vieram existir depois procurando se dirigir a um público bem determinado.

Mas um, em especial, que existe de muito tempo, quase 40 anos no ar, e soube superar muitas pedras de tropeço ao longo do percurso, é o “Roda Viva” da TV Cultura.

No ar, continuadamente, desde 1986, teve diferentes apresentadores em diversos momentos, até chegar aos dias atuais, rejuvenescido, sob o comando de Vera Magalhães.

Em vez do clubinho fechado de um certo período, tornou-se possível observar, por aqueles que são convidados, uma maior preocupação em atender e surpreender o telespectador. O último, com Alceu Valença, na segunda-feira, foi uma nova prova disso

Não por acaso, se colocar entre as marcas mais importantes da TV.

Pela ordem

O programa do Alceu foi o último “Roda Viva” inédito deste ano. Nos dias 25 e 1º, próximas segundas-feiras, reprises das entrevistas com Maria Ressa e Roberto Campos Neto.

E a partir do dia 8, Fernanda Torres, Nilton Travesso e Sidney Magal, tudo novo de novo, mas já gravados.

Congresso do alfaiate

Não sei o que deu, mas meio que, por encanto, TV Jovem Pan meio que aboliu a presença feminina na sua programação. 

Lívia Zanolini e Paula Nobre foram as únicas que restaram, porque no mais só homens, como apresentadores ou comentaristas. Está até esquisito. Descompensado.

A propósito

Segundo pesquisas, a Band tem nos homens, cerca de 70%, a grande parte do seu público. A maioria com mais de 50 anos.

Um dado que deve sempre ser considerado para definir a sua linha de conduta e poder tomar decisões mais seguras. Ou até mesmo estabelecer possíveis novos caminhos.

Catia Fonseca apresenta o "Melhor da Tarde" na Band

Catia Fonseca apresenta o "Melhor da Tarde" na Band

Divulgação

Cantinho do pensamento

A Band, desde muito tempo, teve a sua grade de programação apoiada no jornalismo e no esporte, o que também explica a média de idade do seu telespectador.

Assim como, ainda nos dias atuais, o único programa considerado essencialmente feminino é o “Melhor da Tarde”, da Cátia Fonseca. Fica a pergunta: será que é por aí?

Chegando a hora

Ali Kamel está em seus últimos dias como diretor-geral de jornalismo da Rede Globo.

Em seu lugar, como desde agosto foi oficialmente anunciado, irá assumir Ricardo Villela, atual diretor-executivo.

Expectativa

A saída do Ali e a chegada do Villela deve ser acompanhada de algumas mudanças, vistas como naturais no jornalismo da Globo.

Inclusive, ou especialmente, trocas nas bancadas dos seus telejornais ou apresentação de programas como o “Fantástico”.

Um desejo

O “Primeiro Impacto”, até ordem em contrário, será mantido na programação das manhãs do SBT.

O que poderá acontecer, e existem estudos em cima disso, é a mudança do seu formato. 

Sentar para conversar

Só depois das férias de janeiro a equipe do Luciano Huck vai bater o martelo sobre o novo desenho do “Domingão”.

A divisão em dois horários vai acontecer com o início do Campeonato Brasileiro.

Paginação diferente

A definição do que irá entrar antes e depois do futebol será totalmente definida em próximas conversas.

A parte 1 terá um game, musicais e externas. A outra, quadros como “Dança dos Famosos” e “Quem Quer ser Milionário?”.

Carlos Alberto de Nóbrega não estará nas gravações da "Praça"

Carlos Alberto de Nóbrega não estará nas gravações da "Praça"

Lourival Ribeiro/SBT

Praça diferente

Pela primeira vez, em 36 anos, a gravação da “Praça é Nossa” no SBT, nesta quarta-feira, não contará com a participação de Carlos Alberto de Nóbrega. Nada sério, apenas precaução e para preservá-lo de um recente procedimento cirúrgico.

Este será o último programa do ano e, para cobrir a ausência do titular, os diversos personagens irão contracenar uns com os outros.

Encontro do Jornalismo

Diretores de jornalismo das praças e emissoras internacionais da Record, na Europa, Estados Unidos e África, se reuniram nesta última segunda-feira, na sede de São Paulo, para a apresentação dos planos e estratégias de 2024.

O encontro, que teve início às 9h, se estendeu até 18h.  

Bate – Rebate

• Quem leu a sinopse da nova novela do João Emanuel Carneiro, na fila das 21h da Globo, garante que ela tem coisas de “A Favorita”...

• ... Mas também da “Avenida Brasil”. Muito suspense.

• Aliás, sabe-se que há muito tempo lançada e até com exibição na TV aberta, “Todas as Flores” segue como um dos títulos mais buscados do Globoplay...

• ... Bastante procurada também por assinantes de fora do Brasil.

• Na Band, fala-se, o “Apito Final” dos domingos terá todo um jeitão diferente neste próximo ano...

• ... A ideia, ao que se sabe, é trabalhar mais com as características do Neto.

• André Rizek, até então com seu trabalho restrito ao SporTV, passará a ser aproveitado também pela Globo.

• Assim como Natuza Nery terá ainda maiores espaços no jornalismo.

• A todo instante surgem notícias sobre Márcio Garcia e sua volta para a televisão. Por enquanto, oficialmente, nada consta.

• A partir da próxima semana, o Canal Brasil vai promover uma maratona das suas principais séries....

• “Vizinhos”, dia 25, às 20h20, será a primeira e “João sem Deus – A Queda da Abadiânia, a última, no sábado, 30, 00h00.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas