Roland Garros poderá não ter televisão para Brasil

Novak Djokovic, que foi vítima do coronavírus, quer disputar Roland Garros

Novak Djokovic, que foi vítima do coronavírus, quer disputar Roland Garros

Antonio Bronic/Reuters - 21.6.2020

Até segunda ordem, está confirmada a realização do torneio de tênis de “Roland Garros”, entre 20 de setembro e 4 de outubro.

Mas passou a ser dúvida a presença do BandSports. Se não for concedida uma redução no preço dos direitos não haverá transmissão.

O canal pago, pertencente ao Grupo Band, corre o risco de deixar de mostrar um dos principais eventos do mundo do tênis e, segue assim, o mesmo caminho de outros importantes grupos de comunicação, atingidos pela crise na economia, provocada pelo coronavírus.

Na Globo, por exemplo, já se dá como certa a saída da Fórmula 1 no ano que vem.

Por outro lado, a Federação Francesa de Tênis já anunciou sua intenção de ter espectadores nas arquibancadas das partida de Roland Garros.

Devido à pandemia e a necessidade de adoção de medidas restritivas, o plano traçado é para que o Grand Slam francês tenha entre 50% e 60% da capacidade.

A informação é que o BandSports está com tudo pronto para transmitir, mas com os pés no chão e sem fazer nenhuma loucura.