Flavio Ricco Vitória Strada fala sobre gravação na pandemia: "ficamos assustados”

Vitória Strada fala sobre gravação na pandemia: "ficamos assustados”

Vitória Strada, a Kyra de "Salve-se Quem Puder". Novela termina nesta sexta

Vitória Strada, a Kyra de "Salve-se Quem Puder". Novela termina nesta sexta

João Miguel Junior

A Globo exibe nesta quinta-feira o penúltimo capítulo de “Salve-se Quem Puder”, novela das 19h que reúne no time de protagonistas a gaúcha Vitória Strada.

Trata-se do seu terceiro trabalho na casa, sempre em papel de destaque. Antes, fez “Tempo de Amar” e “Espelho da Vida”, nas quais também recebeu boas críticas. Em “SQP”, momentos finais, sua personagem, Kyra, dividida entre dois amores, esquenta as redes sociais e as torcidas “#alyra” e  “#kyrael”, envolvendo os colegas Thiago Fragoso e Bruno Ferrari.

Vitória Strada, em meio a essa guerra de “fandoms”, conversou com a coluna sobre seu primeiro papel cômico e gravação na pandemia: “Ficamos muito assustados”.

Acompanhe:

Gravar uma novela na pandemia, o que essa experiência representou para você?

VS - Essa experiência foi muito marcante pra mim e acredito que para toda a equipe da nossa novela, pois juntos enfrentamos o desafio de fazer a primeira novela a ser gravada quase que toda na pandemia. Paramos as gravações quando não estávamos nem na metade, sem saber se iríamos voltar a gravar, nem quando. Foi também a primeira vez na história que a Globo paralisou as gravações de uma novela, ‘então ficamos muito assustados’. Mas ao mesmo tempo em que enfrentamos tantos momentos difíceis conseguimos voltar a gravar com um espírito de equipe muito grande. Nos apoiamos uns nos outros e eu sou muito agradecida a todos e por ter saúde, um trabalho, e por sair para trabalhar em meio à pandemia amparada por uma empresa tão cuidadosa.

Durante as gravações, rolava muita insegurança dos colegas atores, preocupação com a doença?

VS - A preocupação sempre esteve presente. Eu mentiria se dissesse que não estava preocupada. Mas quando eu vi e realizei a estrutura que a Globo havia preparado para a volta das gravações, me senti mais segura. Ainda preocupada com a situação que o mundo estava (e infelizmente ainda está) enfrentando, mas sabendo que estava cercada de todos os cuidados necessários e imagináveis.

Dos protocolos de saúde nas gravações, o que mais você estranhou?

VS - Não estranhei nenhum dos protocolos, pois todos eram os mais corretos para o momento. Mas ao mesmo tempo sabíamos que estávamos fazendo aquilo pela primeira vez, mudando os protocolos de uma engrenagem que funciona há mais de 40 anos. Foi uma fase de adaptação e de muita dedicação e cuidado de todos. Fazer quarentena em um hotel para poder gravar cenas de beijo, fazer nossa própria maquiagem e cabelo foram coisas inéditas pra todos, mas que no final permitiu que conseguíssemos entregar um trabalho muito bem feito para o publico.

Dessa vez, você fez mais comédia em cena, em relação a trabalhos anteriores. Você tem uma preferência por comédia ou drama?

VS - Foi a minha primeira vez fazendo comédia, um grande desafio. Acredito que ambos os gêneros têm seus prazeres e suas dificuldades. Fazer drama é difícil assim como fazer comédia também é, muito mais do que imaginam. Não consigo escolher um gênero preferido, amo ser desafiada em novos trabalhos. 


Quais seus planos a partir de agora (TV, teatro, cinema...)?

No momento estou de férias, trabalhando em casa com outras coisas que não a atuação. Mas já estou louca para voltar! Atuar faz parte de mim, é algo que eu amo... Amo acordar e saber que vou gravar várias cenas, dar vida a uma personagem. Logo estarei de volta!

Últimas