Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Ligia Braslauskas (Blog Literatura) - Blogs
Publicidade

Difícil relação entre mãe e filha é tema de drama psicológico

“Sra. Capa” convida o leitor a trafegar por um dos temas mais complexos da psicanálise, e o mergulha numa jornada de amor, ressentimento e reparação

Ligia Braslauskas Literatura|Do R7 e Ligia Braslauskas

Livro aborda relacionamento mãe e filha
Livro aborda relacionamento mãe e filha Livro aborda relacionamento mãe e filha

A figura materna é o objeto de fascínio de todo bebê, mas para a psicanálise a menina se afasta da mãe para que o Édipo aconteça. Tal distanciamento não ocorre de forma pacífica, e geralmente é imerso em hostilidades, contribuindo para que o forte laço entre mãe e filha trafegue pelo ressentimento, e até mesmo o ódio. Por outro lado, a relação com a mãe não será, de todo, abandonada, ela vai marcar o futuro da menina com o pai, o marido e a maternidade. 

Em “Sra. Capa”, drama psicológico de estreia de Fabiana C.O, Sol é uma mulher que desde a adolescência fantasia sua mãe com uma imensa capa vermelha. Entre os sentimentos de amor e admiração, ela mergulha em sua própria história ao se deparar com mágoas ocultas, nunca observadas. A inspiração para o livro começou com a figura da minha mãe, ainda em 2019.

“Quando entendi que a minha observação era válida, eu construí e desenvolvi a história por meio do relacionamento da Sol e da Ana (mãe). Estruturei a história por meio do olhar da filha, e de como o uso da capa precisava ser questionado como algo familiar e enraizado nas gerações. Eu entendi que para falar sobre capas e afins, eu deveria começar com o primeiro relacionamento que temos: que é com a nossa mãe”, conta a autora. 

Narrado em primeira pessoa, “Sra. Capa” reflete sobre a depressão, o luto e as cobranças que cercam o universo feminino. É uma obra que oferece ao leitor um relato afetuoso, por vezes dolorido, e joga luz sobre a capacidade do ser humano em ressignificar histórias, e partir para uma jornada de autodescoberta.

Publicidade

“Falar sobre depressão tem sido uma missão de vida. Eu passei muitas crises desde os meus 15 anos de idade. Posso dizer que experimentei a doença e convivi em grau ‘leve’ com ela por mais de 15 anos”, diz. “Depois que me tornei mãe, percebi que precisava achar a minha cura. Foquei em fazer pelas minhas filhas e por mim. Mas entendi durante o meu processo, que precisava primeiro me amar e depois amar o próximo. Desde 2016 eu iniciei imersões em um curso de desenvolvimento pessoal. Já fazia terapia e estava nessa busca pelo autoconhecimento e consegui por meio das imersões conhecer os meus nós, e ressignificar parte da minha história e traumas.”

“Sra. Capa” chega ao mercado editorial em um momento em que nunca se falou tanto sobre saúde mental. É um livro que cutuca o leitor sobre a importância de ser ouvido, mas também de saber ouvir. É uma obra sobre a aventura do autoconhecimento.

Publicidade

“’Sra. Capa’ também tem como objetivo falar sobre a depressão. Fazer o leitor olhar para a doença e entender que uma história de vida pode proporcionar os mais diversos sentimentos. Sim, a depressão existe, e precisa ser olhada e tratada. Desejo gritar que por trás das mulheres temos dores, capas e temos a necessidade de conexão”, finaliza a autora.

“Sra Capa”

Publicidade

184 páginas

R$ 39,90

Independente

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.