Discussão sobre assédio e abuso permeia "Minha Sombria Vanessa"

Romance narra a relação de uma estudante com um homem mais velho

Livro prende leitor e gera revolta

Livro prende leitor e gera revolta

Divulgação

Um ano depois de ler o clássico “Lolita”, de Vladimir Nabokov, Kate Elizabeth Russell começou a mergulhar naquele que seria, quase 20 anos depois, seu primeiro romance, sobre o relacionamento de uma jovem estudante que se apaixona por seu professor de inglês, bem mais velho. Ela imaginou que poderia estar escrevendo apenas mais uma história de amor, mas, no decorrer de seu processo criativo,  tanto ela como o mundo mudaram, e Kate passou a enxergar tudo de forma diferente.

Lançado com grande repercussão nos Estados Unidos, “Minha Sombria Vanessa”, aclamado como o “Lolita” da era do #MeToo, movimento que encorajou mulheres do mundo todo a denunciarem assédio e abuso sexual, já é considerado um dos grandes livros de 2020 por veículos como “The New York Times”, “Newaweek”e “Observer”.

O livro conta a história de Vanessa Wye, uma estudante solitária que não se importa de não ter um namorado, até que seu professor de inglês, Jacob Strane, de 42 anos, passa a prestar mais atenção nela, fazendo elogios e tal. Assim, antes que a jovem perceba, os dois já estão envolvidos em um relacionamento.

Mais de uma década mais tarde, uma jovem acusa Strane de abuso sexual, e Vanessa começa a se questionar se o que aconteceu à época entre ela e o professor foi realmente uma história de amor ou se ela foi vítima de um estupro.

Contada pela protagonista, a narrativa vai e e volta no tempo, relatando em detalhes o que aconteceu. Prepare-se, a história é muito boa.

“Minha Sombria Vanessa”
Tradução de Fernanda Abreu
432 páginas
R$ 49,90 (impresso)
R$ 34,90 (e-book)
Editora Intrínseca