Ligia Braslauskas Literatura Editora traz “Os Diários de Virginia Woolf - Uma seleção”

Editora traz “Os Diários de Virginia Woolf - Uma seleção”

Livro inédito no Brasil, recupera os diários de Virginia Woolf desde 1897, quando tinha apenas 15 anos, até 1941, data de seu suicídio

Os diários de Woolf foram, desde sua juventude, um espaço de registro cotidiano

Os diários de Woolf foram, desde sua juventude, um espaço de registro cotidiano

Divulgação

É incomum que figuras históricas proeminentes deixem relatos tão aprofundados de suas vidas pessoais e seus pensamentos íntimos, e ainda mais raro que nesses relatos transpareçam tanto de seu brilhantismo e intelecto. Um dos expoentes do Modernismo e uma das autoras de maior impacto na literatura até hoje, Virginia Woolf possui esse talento.

A Editora Rocco lança o inédito “Os diários de Virgínia Woolf”, uma cuidadosa seleção da estudiosa Flora Sussekind que vai desde 1897, quando a autora tinha apenas 15 anos, até seu suicídio, em 1941. O livro traz textos que relatam acontecimentos importantes da vida da autora, como o sofrido processo de publicação dos livros e o casamento amoroso com Leonard Woolf, mas também momentos de relevância histórica como a Primeira Guerra Mundial e a ascensão do nazismo na Europa.
 
Os diários de Woolf foram, desde sua juventude, um espaço de registro cotidiano, mas também de experimentação estilística, demonstrando que, mesmo antes da publicação de suas primeiras obras, a autora já se preocupava com um apuro estético incomum nos seus escritos. Mais do que isso, sua sensibilidade aos papéis de gênero muito estritos da alta sociedade inglesa do final do século 19 e início do século 20 aproximam a leitura de seus diários à vivência feminina atual de uma forma que parece quase profética.
 
Costurando referências a acontecimentos históricos, personagens célebres da intelectualidade e seus próprios demônios pessoais, os diários de Woolf demonstram uma personalidade única e precursora. Para ela, o público e o privado se misturam, assim como o poético e o prosaico, o sublime e humano. “A ficção é uma teia de aranha, presa por muito pouco, mas presa à vida pelos quatro cantos”, como dirá em “Um teto todo seu”. Na teia da ficção, a vida de Woolf é o esteio e a moldura que ilumina muitas das cenas por vezes enigmáticas da sua obra.

Por décadas esquecida pela crítica brasileira, Virginia Woolf encontra hoje o reconhecimento tão merecido na forma de publicações e estudos cada vez mais populares de seus livros. Esta seleção de seus diários, traduzida pela escritora e poeta Angélica Freitas, é um marco inédito na história da autora no Brasil, uma janela à interioridade de uma mulher ímpar e seu talento pioneiro.
 
“Os Diários de Virginia Woolf - Uma seleção”
Tradução de Angélica Freitas
432 páginas
R$ 129,90
Editora Rocco

Últimas