Livro fornece um vislumbre do dia a dia do regime comunista russo

Em "A Menininha do Hotel Metropol", Liudmila Petruchévskaia, narra a difícil infância de uma criança no período

Obra interessante e elucidadora

Obra interessante e elucidadora

Divulgação

"Quando penso na espécie humana, não a imagino como uma árvore genealógica cheia de galhos. A espécie humana parece uma floresta, ela se estende ao longe — e aparece como uma corrente de pessoas-árvores de mãos dadas. Não sei por quê, mas é assim."

Liudmila Petruchévskaia nasceu no Hotel Metropol, na mesma rua do Kremlin, sede do governo russo, em uma família de intelectuais bolcheviques que perderam grande parte de seu status social depois de 1917.

Neste livro, a autora narra sua infância extremamente difícil: a constante falta de comida e aquecimento, os períodos passados na rua e as adversidades crescentes enfrentadas pela família.

À medida que ela desvenda sua criação itinerante, vemos, tanto em sua notável falta de autopiedade quanto nas fotografias ao longo do texto, seu instinto feroz e sua habilidade em dar voz a uma nação de sobreviventes. "A Menininha do Hotel Metropol", de Liudmila Petruchévskaia, é um livro que fornece um vislumbre do dia a dia do regime comunista russo.

"A Menininha do Hotel Metropol"
Tradução: Cecília Rosas
312 páginas
R$ 69,90 (impresso)
R$ 29,90 (e-book)
Companhia das Letras