"Orwell: um homem do nosso tempo"

Richard Bradford constrói um retrato vívido do autor e o coloca, com sua obra, no centro de algumas das principais questões atuais

Desde o início dos anos 1930, Orwell foi astuto em identificar aspectos nossos que resistiriam ao tempo

Desde o início dos anos 1930, Orwell foi astuto em identificar aspectos nossos que resistiriam ao tempo

Divulgação

Para um autor cujo trabalho foi considerado o mais importante durante os anos turbulentos de meados do século XX e que rompeu as fronteiras entre literatura, jornalismo e comentário político, houve relativamente poucas tentativas de apresentar George Orwell, o homem por trás dos escritos.

Desde o início dos anos 1930, Orwell foi astuto em identificar aspectos nossos que resistiriam ao tempo e ressurgiriam muitas décadas depois: o antissemitismo, a tolerância do mundo livre aos regimes autoritários, o duplipensar como o motor do discurso político e até mesmo o Brexit.

Por meio dessa lente contemporânea, Richard Bradford constrói um retrato vívido do autor e o coloca, com sua obra, no centro de algumas das principais questões atuais, procurando responder a uma pergunta fundamental: se Orwell pudesse se juntar a nós, o que ele pensaria dos anos em que vivemos?

"Orwell: um homem do nosso tempo"
Tradução de Renato Marques de Oliveira
376 páginas
R$ 55,20
Editora Tordesilhas

Últimas