Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Melhor Não Ler
Publicidade

Descoberto o maior de todos os golpes no Brasil (e você já caiu nele!)

2024 começa com a revelação do golpe do século, idealizado por mentes altamente treinadas para manipular e lucrar

Melhor Não Ler|Do R7 e Patricia Lages


Agência Brasil (Arquivo) / Marcello Casal Jr.

Esquema de pirâmide, jogo do tigrinho, caça-níquel adulterado ou qualquer outro tipo de fraude financeira não é páreo para o golpe do século que, entra ano, sai ano, se aperfeiçoa cada vez mais.

A arapuca das arapucas está formada no Brasil há séculos, porém, nas últimas décadas o nível de aprimoramento do cambalacho é de deixar Bernie Madoff – o maior golpista de todos os tempos, o “serial killer” das finanças – com muita, mas muita inveja.

Se o coitado do Tiradentes se revoltou por pagar 20% de toda sua renda em tributos – o chamado “quinto dos infernos” – imagine o que ele faria hoje em dia, quando não dá nem para calcular o quanto o Estado embusteiro, digo, Estado brasileiro cobra hoje...

A alicantina, a astúcia, a artimanha ou qualquer que seja o nome do que vivemos atualmente neste país se resume em subtrair legalmente do bolso de cada brasileiro mais da metade de sua renda em uma cascata de impostos que não têm fim. Mas, como todo bom golpe, ele é aplicado de maneira velada e sob um emaranhado de regras que enlouquece qualquer tributarista, ainda que bem-intencionado. E, claro, de forma que a pessoa que cai na teia – de onde jamais sairá – pense que está no lucro, recebendo uma porção de coisas “grátis” pelas quais já pagou caríssimo.

Publicidade

Mas, por mais que pareça complicada, a fórmula é muito simples:

• Você paga impostos sobre tudo o que recebe, pois o Estado entende que parte do que você ainda nem recebeu já é dele por “direito”;

Publicidade

• Você paga impostos sobre tudo o que compra com o dinheiro que já foi tributado;

• Depois você paga impostos sobre os bens que comprou com o dinheiro que já foi tributado e cujos preços já embutem as mais variadas taxas. Isso se você não quiser perder seus bens para o Estado, pois apensar de tê-los comprado, eles não são exatamente seus;

• Por fim, quando você partir desta para melhor, seus herdeiros pagarão impostos sobre tudo o que você deixar. Resumindo, para que ninguém se confunda: sua família pagará impostos sobre os bens que você comprou com um dinheiro que já foi tributado quando você recebeu, e que igualmente arcou com taxas e mais taxas por todos os anos em que você “usufruiu” desses bens que, como dissemos, são mais do Estado do que seus.

Mas, anime-se, caro leitor, pois neste ano teremos um dia a mais para trabalhar e pagar a conta toda. Bora!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.