Dilma confirma e explica a derrocada da Venezuela

Ex-presidente derrapa na curva e atropela o discurso petista ao expor conversa surreal que teve com Hugo Chávez

Ex-presidente Dilma Rousseff, em imagem de arquivo

Ex-presidente Dilma Rousseff, em imagem de arquivo

Charles Platiau - 02.mar.2020/Reuters

Dilma Rousseff nunca decepciona quando decide explicar alguma coisa. Foi assim quando discursou na ONU e ensinou o mundo inteiro a estocar vento, quando enalteceu as riquezas brasileiras ao saudar a mandioca e quando revelou que atrás de toda criança há uma figura oculta, no caso, um cachorro.

E é claro que não podemos jamais deixar de mencionar suas palavras proféticas ao afirmar que: “Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder".

Mas a recordação de hoje fica por conta de um vídeo que voltou a circular na internet, até porque não podemos deixar que as lições de Dilminha se percam por aí. Trata-se de uma entrevista ocorrida em agosto de 2021, na qual a ex-presidente, que nunca mais conseguiu se eleger a cargo algum, expõe uma conversa que teve com Hugo Chávez, o ditador que começou o processo de destruição da Venezuela mas que o PT ama mais que chocolate.

“Uma vez, eu estava questionando o Chávez por que ele levava, sem falar conosco, empresários brasileiros para discutir em outros países da América Latina. E perguntei para ele assim, a título de amigável: ‘Você acharia correto, Chávez, que a gente convocasse seus empresários para levar a outro país para fazer uma discussão?’. Ele disse para mim: ‘Eu acharia engraçado, eu não tenho empresários’”, afirmou Dilma.

Essa é a explicação prática do significado da expressão “dar com a língua nos dentes”. Para ficar mais claro, vamos empregá-la em uma frase: “Enquanto o PT se esforça para convencer os brasileiros de que a Venezuela é uma democracia e o socialismo funciona, a Dilma vai lá e dá com a língua nos dentes”.

É tão bom recordar as palavras sábias da nossa musa do nonsense, não é mesmo? Volta, querida!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas