Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Melhor Não Ler
Publicidade

Égua que não era cavalo foi salva e Felipe Neto precisa urgentemente de outra vítima

Se alguém souber de outra vítima animal no RS, avise o homem-foca porque salvar gente não dá engajamento e lacrar é preciso

Melhor Não Ler|Do R7

Bem que Nelipe Feto tentou lacrar com o cavalo que já tinha até nome fofo: Caramelo, mas que na verdade é uma égua. O garoto-propaganda do governo do amor – e que apenas destila ódio do bem – afirmou que, para o resgate do cavalo que nem cavalo era, só seria possível com sua “força-tarefa virtual”, por meio de um helicóptero capaz de erguer 500 quilos e que “alguém” teria de emprestar um porque os comerciais não suportam esse peso.

“Tudo que for preciso para resgatar o cavalo de Canoas, eu disponibilizo. Precisamos salvar o Caramelo, essa preciosidade que está há 4 dias sozinho, sem comida, desesperado, esperando um milagre”, disse Feto que, além de dominar a linguagem das focas também consegue ler os “pensamentos” dos equinos.

Mas eis que em vez de ficar lacrando na internet desde o conforto de seu lar, uma equipe de São Paulo foi até em Canoas e resgatou a égua marrom que não é um cavalo caramelo. E mais: não precisou de helicóptero nenhum.

O salvamento não foi fruto da imaginação de um sujeito mimado por meio de uma força-tarefa virtual, mas sim, de uma força-tarefa real da equipe de socorristas formada por membros do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar de São Paulo em parceria com o Exército. A égua foi sedada e levada para um local seguro em um bote inflável.

Infelizmente não foi dessa vez que o Feto-foca lacraria em cima de um salvamento espetacular que rodaria o mundo enaltecendo a ele mesmo como um grande herói que nem sequer precisou levantar o traseiro do sofá. Por enquanto, ficou só no virtual mesmo... Mas não perca as esperanças, Nelipe! Afinal, quem sabe não aparece outra vítima perfeita, já que salvar gente não tem a menor graça e não dá engajamento?

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.