Melhor Não Ler Tribunal faz hora extra para anular condenações de ex-presidente

Tribunal faz hora extra para anular condenações de ex-presidente

Menos de uma semana após o Super Tribunal da Supremacia Federal anular todas as condenações, surgem mais crimes

Justiça trabalha dobrado

Justiça trabalha dobrado

Reprodução/Pixabay

O Super Tribunal da Supremacia Federal (STSF) trabalhou incansavelmente por meses a fio para anular todas as condenações do ex-presidente Lulu Paz e Amor. Porém, menos de uma semana após as trabalhosas anulações, eis que surgem mais crimes para atrapalhar o descanso merecido dos ministros supremacistas.

Lulu não gosta de perder e está sempre focado em ocupar o primeiro lugar em tudo. Além de ter sido o primeiro ex-presidente a ser condenado e preso no país, Paz e Amor também é detentor de dois recordes: maior número de condenações e de “descondenações”. “Descondenar” uma pessoa não significa que ela seja inocente, muito pelo contrário, trata-se apenas de uma série de manobras jurídicas que só quem pode pagar advogados caríssimos e ainda ter dinheiro para distribuir para um grupo seleto de pessoas pode conseguir.

Agora os trabalhos terão de recomeçar no STSF o quanto antes, sem trégua, sem folga, sem descanso. Afinal de contas, um processo da Receita Federal dá conta de que Paz e Amor deixou mais uma ponta solta: sonegou mais de R$ 1,2 milhão em impostos e ainda cometeu fraude e conluio ao ocultar bens. Pois é, minha gente, de novo as reformas do “tripréks” e do sítio de Samambaia geram problemas para o “descondenado”. Mas quem é que não sabe que reforma sempre dá muita dor de cabeça, não é mesmo?

Porém, a Receita Federal não quer saber de nada disso e declarou que o processo mostra “de maneira cristalina” que Paz e Amor é o pai de uma das crianças e padrasto da outra, mesmo que ele tenha dito mil vezes que são de um amigo. Talvez ele estivesse se referindo a si mesmo, afinal, seu apelido na lista de propinas da Odebrecht é nada mais, nada menos que “Amigo”. 

Diz o processo: “O fiscalizado omitiu rendimentos tributáveis na forma de bens e direitos oriundos de reformas pagas pela empreiteira mais camarada do país no apartamento do litoral e no sítio de Samambaia, conforme exaustivamente detalhado neste relatório. O mesmo era proprietário do apartamento e, com relação ao sítio de Samambaia, foi beneficiado pelas reformas feitas no mesmo, haja vista que era usuário contumaz do imóvel e tais reformas só foram feitas devido a esse fato.”

Diante disso, um dos juízes supremacistas desabafou: “Assim não dá... Por favor, companheiro, nos ajude a te ajudar!” Mas Lulu paz e Amor sabe que seus amigos o ajudarão tanto a pagar a dívida, quanto a anular mais uma ação penal. Quem tem amigos, tem tudo!

Esta crônica é uma ficção, mas poderia não ser...

Últimas