Alok faz o esperado e estraga a nova música dos Rolling Stones

DJ brasileiro teve de fazer nove versões diferentes para conseguir agradar a Mick Jagger, o vocalista da banda inglesa

Stones chamaram DJ brasileiro para estragar sua música

Stones chamaram DJ brasileiro para estragar sua música

Divulgação

2012 foi a última vez em que os Rolling Stones lançaram uma música inédita, quer dizer, lá se vão oito anos sem nada novo da banda. Aí, em 2020, Mick Jagger e sua turma decidem soltar Living in a Ghost Town (“vivendo numa cidade fantasma”). Eles decidiram lançaram esta (que estará no novo álbum) agora porque tem a ver com o momento em que o mundo vive – a pandemia do coronavírus -, com muita gente dentro de casa, deixando as ruas vazias.

A nova canção vem no estilão clássico dos Stones: rock com pegada blues, as duas guitarras se encontrando, o vozeirão de Jagger etc e tal. Ou seja, uma musicaça daquela que muitos consideram a maior banda de rock do mundo. E aí o que faz o nosso amigo Mick? Chama o superbadalado Alok, DJ brasileiro que faz sucesso mundo afora, para dar uma remixada em Living in a Ghost Town. Para quê, né?

Quando saiu a notícia de que Alok havia sido convidado para retrabalhar a música, já surgiu um sinal de alerta. É que o DJ é aquela coisa, né? Bem distante do rock tradicional/básico/pesado e guitarreiro dos Stones. Não que um DJ especialista em música eletrônica não possa fazer um remix de uma canção roqueira, isso já aconteceu várias vezes e deu certo. Mas, vamos combinar aqui, que a mexida que Alok deu em Living in a Ghost Town não funcionou.

Um remix, em geral, serve para dar uma nova vida à uma música, revivê-la nas rádios ou dar um jeitão mais dançante a ela. Acontece que essa canção do grupo inglês não precisa de nada disso. É extremamente nova, já chama atenção por si própria e não vai ser tocada em casas noturnas. Até porque não tem ninguém indo a esses lugares no momento.

O remix do Alok mudou o andamento de Living in a Ghost Town, tirou seu impacto, escondeu as guitarras, mudou a gaita de lugar e assim foi. O próprio brasileiro disse que Mick Jagger só ficou satisfeito com a nona versão do remix. Dá para dizer que o vocalista dos Rolling Stones foi vencido pelo cansaço.

Não se engane: prefira sempre a original.