Odair Braz Jr Cinco motivos para odiar Batman Eternamente em seus 25 anos

Cinco motivos para odiar Batman Eternamente em seus 25 anos

O filme é ruim de ponta a ponta e praticamente nada se salva; A produção só não é pior do que o ridículo Batman & Robin

  • Odair Braz Jr | Do R7

Val Kilmer e Chris O'Donnell como Batman e Robin em Batman Eternamente

Val Kilmer e Chris O'Donnell como Batman e Robin em Batman Eternamente

Divulgação

Não há discussão: Batman & Robin, lançado em 1997 é o pior filme do Batman da história. Mas e o segundo pior? Claro que é esse Batman Eternamente, lançado dois anos antes, em 1995. Este é o primeiro longa do herói dirigido por Joel Schumacher, que assumiu a função após Tim Burton comandar os dois anteriores — Batman e Batman: O Retorno.

E quando Batman Eternamente chegou aos cinemas nos EUA, em 16 de junho de 1995, foi possível notar na hora que houve uma mudança na direção. Primeiro que mudou o ator que interpretava o Homem-Morcego: saiu Michael Keaton e entrou Val Kilmer. O novo ator a vestir o manto do herói é, aliás, uma das poucas coisas que se salvam no filme. Mas não foi só isso que mudou. O climão geral do longa era completamente diferente. Com Burton, havia um estilo sombrio, mais lúgubre. Com Schumacher, tudo ficou estridente, colorido, barulhento, exagerado e espalhafatoso. Ficou realmente uma coisa estranha, ainda mais em se tratando de Batman, que é um herói que atua em silêncio, nas sombras.

Mas, como falei ali em cima, esse é o segundo pior filme da trajetória de Batman no cinema. E trago para você aqui cinco motivos para odiar o longa. Veja na galeria abaixo:

Últimas