Cinco motivos para odiar Friends nos 25 anos de sua estreia

Sitcom tem fãs chatos que acreditam que ela seja a melhor de todos os tempos. É fácil dizer que isso não está nem perto da verdade

Divulgação

A sitcom da década de 90 mais adorada por nove entre dez pessoas está completando 25 anos de sua estreia em 2019. E, claro, as comemorações rolam soltas, junto com aquela nostalgia que se junta ao desejo dos fãs por novos episódios.

Durante dez temporadas foram mostradas para os fãs as aventuras e desventuras de Rachel (Jennifer Aniston), Monica (Courteney Cox), Phoebe (Lisa Kudrow), Joey (Matt LeBlanc), Chandler (Matthew Perry) e Ross (David Schwimmer). Esses seis amigos estavam na faixa dos vinte aos trinta e poucos anos e procuravam levar suas vidas lutando por empregos melhores, ganhar mais dinheiro enquanto também viviam formando casaizinhos para lá e para cá.

E agora, mesmo após 15 anos do término, as pessoas continuam pedindo novos episódios, um filme, uma nova série e sabe-se lá mais o quê. Não parece que vai rolar, para a tristeza dos fãs e também para a alegria das poucas seis pessoas que odeiam Friends.

E, acredite, há quem não curta a sitcom e é bom saber que há motivos reais para não achar Friends a última bolacha do pacote das séries de TV dos anos 90. Quer ver? É pra já:


Adultos agindo como bobocas
Tudo bem que cada um tem seu jeito, mas os seis amigos têm comportamentos totalmente infantis. É óbvio que gente crescida, mesmo com vinte e poucos ou trinta e poucos anos, ainda guarda alguns comportamentos da adolescência, mas espera um pouco, né? Ficar agindo feito criancinhas mimadas o TEMPO INTEIRO tem limite. Ninguém aguenta conviver com pessoas assim. E o pior é que esse jeitinho Friends de ser se espalhou por todos os personagens, tornando-os todos seres insuportáveis. E aí aparecem as piadas sem graça, os maneirismos chatos, os bordões horríveis e aquela maneira Friends de encarar a vida. Sério, como é que alguém aguentou ver isso semanalmente por dez anos?

Não tem a menor necessidade de um retorno
Que tal todo mundo parar de pedir a volta de Friends? Você, fã, já tem dez temporadas no streaming, no DVD, em possíveis reprises etc e tal. Qual a utilidade de um retorno? Você quer mesmo ver esses atores, já na casa dos 50 e tantos anos, interpretando aqueles mesmos personagens? Imagine o Ross aos 50. E o que dizer de Phoebe cantando aquela música do Smelly Cat. Haja paciência.

Fãs acham a comédia mais genial da TV. Não é
Fã é aquele tipo de pessoa que quase sempre acaba estragando e até inviabilizando aquilo que gosta muito. Inviabiliza porque se torna um ser humano tão chato, tão pegajoso que faz outras pessoas terem aversão ao seu objeto de desejo. Acontece isso com Raul Seixas, com os filmes da Marvel, com Legião Urbana e com Friends. Não é nem o caso de dizer que a sitcom é um lixo e que nada se salva. Não é isso, até tem uns dois episódios que se salvam, vamos ser sinceros aqui. Acontece que Friends tem fãs tão malas, que ficam falando tanto como a série é demais, como é linda, como é a melhor de todos os tempos, que qualquer pessoa normal já fica com aversão automática ao tema.

E quando o assunto é série sobre jovens, há várias que são bem melhores do que Friends. Exemplos: Minha Vida de Cão, Um Maluco no Pedaço e o Quinteto. Sobre a melhor sitcom dos anos 90 ou de todos os tempos dá para colocar facilmente Seinfeld bem acima dos seis amigos.

Friends é cheio de “problemas de gente branca”
Quando o assunto é diversidade, Friends passa vergonha, né? São seis amigos brancos cheio de “problemas” de gente branca. Eles têm dificuldades? Até têm, mas passam longe de ser questões que afligem a maior parte da população. Eles têm casa, têm comida, têm emprego (eventualmente, não), moram num ótimo prédio em Manhattan e por aí vai. Já reparou quantos personagens negros aparecem na série? Pois é, bem poucos.

Muitas piadas homofóbicas
Ainda no tema representatividade, Friends sempre deu um show de homofobia, sempre disfarçada como piadinhas entre os amigos. Por exemplo, há algumas citações jocosas sobre o fato do pai de Chandler ser um transgênero. Além disso, há várias outras piadas homofóbicas espalhadas pelas dez temporadas da sitcom.

Basicamente é isso aí.