Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Odair Braz Jr - Blogs
Publicidade

Lisa Marie Presley jamais superou a morte de Elvis e de seu filho, Benjamin

Ela foi mãe, artista e empresária e sempre lutou para levar adiante o legado de seu pai

Odair Braz Jr|Do R7

Lisa Marie morreu nesta quinta-feira (12), em Los Angeles, de maneira inesperada, o que chocou muita gente. Mas quem prestava atenção ao seu dia a dia podia ver sinais preocupantes nos últimos tempos. Há dois anos e meio, ela perdeu seu filho, Benjamin Keough, aos 27 anos, e de lá para cá ficou nítido que ela jamais conseguiu lidar com isso.

Mas, antes disso até, Lisa sempre teve grande dificuldade para lidar com a morte de seu pai, Elvis Presley. Ela foi uma das primeiras bebês-celebridade da era moderna. Nascida em 1968, houve uma enorme expectativa por sua chegada — afinal era a filha de um dos homens mais famosos da Terra. Lisa veio ao mundo cercada de fotógrafos e repórteres e sempre foi acompanhada de perto pela mídia desde então.

Elvis tinha adoração pela garotinha e, apesar de ficar muito tempo longe de casa, em turnês, sempre compensava tudo quando estava junto dela. Mesmo quando se separou de Priscilla, em 1973, o cantor ficava com Lisa sempre que possível. Quando ele morreu, em 16 de agosto de 1977, em sua casa, Lisa estava presente e viu o pai morto. Ela tinha apenas 9 anos.

Lisa e seu filho, Benjamin
Lisa e seu filho, Benjamin Lisa e seu filho, Benjamin

A morte de Elvis só fez a mídia continuar cada vez mais em cima de Lisa. Todos queriam saber o destino da herdeira do rei do rock, o que ela faria da vida, como lidaria com a fortuna deixada, se seria também uma artista, com quem namoraria etc.

Publicidade

Mas nada de muito surpreendente apareceu vindo de Lisa. Sabe-se que ela teve, na adolescência, alguns períodos de rebeldia, usou drogas e, mais tarde, aos 20 anos, em 1988, casou-se com Danny Keough. Logo vieram seus dois primeiros filhos, Riley (em 1989) e Benjamin (em 1992). Em 1994, aconteceu o divórcio, e no mesmo ano ela se casou com Michael Jackson (sim, o rei do pop). Eles se separaram em 1996, e em 2002 houve um novo enlace, dessa vez com o ator Nicolas Cage, de quem se separou em 2004. Em 2006, Lisa casou-se novamente, agora com o músico Michael Lockwood, com quem teve gêmeas. Eles se separaram em 2016.

ARTISTA

Publicidade

Apesar da fortuna e da fama herdadas, Lisa parece sempre ter tido uma vida pessoal problemática, e dava a impressão de procurar constantemente um rumo que nunca encontrava. Quando se tornou maior de idade, ela passou a gerenciar — ao lado da mãe, Priscilla Presley — a obra de Elvis. Priscilla já vinha comandando o legado de seu ex-marido pouco tempo após sua morte e expandiu o dinheiro deixado pelo cantor.

Numa dessas buscas pelo próprio caminho, Lisa finalmente decidiu se tornar cantora e, aos 35 anos, lançou seu primeiro álbum, chamado To Whom it May Concern. Demorou bastante tempo para isso acontecer, certo? Na época, em entrevistas, Lisa disse que sempre cantou, mas que não ousava fazer isso profissionalmente por ser filha de quem era. As comparações seriam inevitáveis e impossíveis de lidar. Apesar disso tudo, ela fez um disco de rock, mas nada a ver com o som de seu pai. Era um rock mais sério, um pouco sombrio, com letras próprias e muita guitarra. Vieram mais dois álbuns, o último em 2012, e ficou nisso sua vida musical.

Publicidade
Lisa durante um de seus shows
Lisa durante um de seus shows Lisa durante um de seus shows

Daí para a frente, a filha de Elvis e Priscilla não teve anos muito bons. Em 2005, ela e sua mãe venderam os direitos da obra de Presley e ficaram apenas com Graceland. Após a separação de seu quarto marido, Lisa enfrentou um divórcio litigioso e chegou a perder a guarda de suas filhas mais novas e muito dinheiro. Chegou a ficar com problemas financeiros. Em 2020, houve a trágica morte de seu segundo filho, e, depois disso, as coisas nunca mais foram as mesmas. Seu sofrimento era nítido até mesmo nas raras fotos em que aparecia.

Ela teve algum alívio em 2022, quando foi lançado o filme Elvis, cinebiografia que mostrou de uma maneira muito interessante a trajetória de seu pai. No último dia 8 de janeiro, ela esteve em Memphis para celebrar os 88 anos de nascimento de Presley. No dia 9, compareceu à cerimônia de entrega do Globo de Ouro, onde Austin Butler ganhou o prêmio de melhor ator por sua interpretação de Elvis. Lisa parecia estar contente e emocionada.

Sua partida prematura, assim como a de seu pai e seu filho, é mais um ponto triste na história da família Presley. E o que dá para fazer é apenas desejar muita força a Priscilla, que, aos 77 anos, tem de se despedir de mais um familiar. Desta vez, sua filha.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.