Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Odair Braz Jr - Blogs
Publicidade

Para celebrar 40 anos de carreira, Paralamas do Sucesso faz show em SP com hits de ponta a ponta

Banda passou por todas as fases de sua trajetória na primeira apresentação da turnê que comemora quatro décadas de música

Odair Braz Jr|Do R7 e Odair Braz Jr

Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone no palco celebrando os 40 anos do Paralamas
Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone no palco celebrando os 40 anos do Paralamas Herbert Vianna, Bi Ribeiro e João Barone no palco celebrando os 40 anos do Paralamas (Rafael Strabelli/Espaço Unimed - 06.04.2024)

Esses shows comemorativos de alguma data são ótimos para lembrar a gente da grandeza de algum artista ou banda e esta apresentação do Paralamas do Sucesso, neste sábado (6), em São Paulo, no Espaço Unimed, funcionou desse jeito. Fez todo mundo saber direitinho por que o trio formado por Herbert Vianna, João Barone e Bi Ribeiro estão na estrada há 40 anos.

É até difícil colocar em palavras o tamanho desta banda, que deveria estar fazendo esta turnê em estádios lotados. Com um repertório composto de hits de ponta a ponta — isso mesmo, só hits — o show do Paralamas é de uma simplicidade e potência incríveis. O trio, acompanhado por um naipe de metais e pelo tecladista de longa data João Fera, soa pesado, intenso e entrosadíssimo.

E foi com todos estes elementos que a banda entrou no palco ao som de Baba O'Riley, do The Who, e já mandou bala com uma sequência matadora com Vital e sua Moto, Cinema Mudo e Ska, as três lá do comecinho da banda. Normal que este show apresente um panorama sobre a carreira do Paralamas, então, a partir daí, surgiram canções de praticamente todos os seus álbuns. Vieram músicas como Trac-Trac, Selvagem, Mensagem de Amor, Saber Amar, La Bella Luna e muitas outras.

Tudo altamente bem tocado, com Herbert mostrando toda a sua técnica na guitarra. Às vezes a gente esquece como ele é ótimo no instrumento. E talvez, isso seja “culpa” de João Barone, sem dúvida um dos melhores bateristas do mundo. E impossível também não mencionar a maestria de Bi Ribeiro em seu contrabaixo.

Publicidade

O Paralamas, ao longo do show, em alguns momentos toca apenas como trio, sem os músicos de apoio. E isso acontece nas músicas em que eles precisam soar mais pesados. E assim tocaram canções clássicas como Selvagem (com direito a trecho de Polícia, do Titãs), Trac-Trac e Mensagem de Amor (que é do Paralmas mas que foi sucesso com o Kid Abelha nos anos 80).

Herbert com sua guitarra e pedaleira manual
Herbert com sua guitarra e pedaleira manual Herbert com sua guitarra e pedaleira manual (Rafael Strabelli/Espaço Unimed - 06.04.2024)

Depois vieram aquelas faixas para todo mundo cantar junto e foi a vez de Mensagem de Amor, Aonde Quer que Eu Vá, Lanterna dos Afogados e La Bella Luna. A ótima Quase um Segundo foi tocada apenas com Herbert e João Fera no palco.

Publicidade

Ali pelo meio do show, que estava sendo gravado para lançamento em DVD/streaming, mudou-se um pouco a dinâmica, com João Barone vindo para a frente do palco com uma bateria menorzinha um pouco. Desse jeito eles tocam O Amor Não Sabe Esperar, Será que Vai Chover?, Assaltaram a Gramática, Gostava Tanto de Você (de Tim Maia), Entrei de Gaiato no Navio e O Beco. Nesta última rolou um errinho e, por causa da gravação, tiveram de recomeçar. Sem problemas, pessoal.

E quem foi ao show neste sábado ganhou de presente dois bises. O primeiro teve Perplexo, Romance Ideal, Ela Disse Adeus, a sensacional Caleidoscópio e a linda Meu Erro. O Paralamas se despediu, foi aplaudido pelo público de idades variadas, e Herbert voltou ao microfone e disse: “estamos gravando todos os aspectos deste show para o DVD e tem duas músicas que precisamos tocar de novo. Vocês se importam?”. Obvio que não, né? Todo mundo ficou felizaço por ter mais um tantinho da banda no palco. E reprisaram Romance Ideal e Lanterna dos Afogados.

Publicidade

Enfim, um baita show de uma das maiores bandas brasileiras de todos os tempos e que nos mostra como o rock nacional produziu artistas sensacionais. Tudo bem que muita gente desta geração ficou pelo caminho e anda capengando por aí, mas há artistas brilhantes e que merecem ser eternizados. Como o Paralamas, por exemplo. E é para ter vergonha mesmo encontrar pessoas por aí dizendo que “nunca ouvi falar nesse Paralamas”.

Mas (sempre tem um, né?) faltou alguma surpresinha aqui e ali no show. Uma canção que nunca tocaram ao vivo, um convidado especial, talvez uma canção inédita. Não que alguém tenha reclamado, pelo contrário, o público adorou e cantou tudo junto com o trio do começo ao fim. Pena só que a banda esqueceu de incluir Me Liga no setlist. Que tal tocá-la próxima vez, rapazes?

Fãs de todas as idades lotaram casa de show na zona oeste de São Paulo
Fãs de todas as idades lotaram casa de show na zona oeste de São Paulo Fãs de todas as idades lotaram casa de show na zona oeste de São Paulo (Rafael Strabelli/Espaço Unimed - 06.04.2024)

Vejas as músicas que a banda tocou:

Vital e sua Moto, Cinema Mudo, Ska, Lourinha Bombril, Trac-Trac, O Calibre, Selvagem, Mensagem de Amor, Cuide Bem do Seu Amor, Saber Amar, Tendo a Lua, Aonde Quer que eu Vá, Lanterna dos Afogados, La Bella Luna, O Amor Não Sabe Esperar, Será que Vai Chover?, Assaltaram a Gramática, Gostava Tanto de Você (de Tim Maia), Melô do Marinheiro, O Beco, Quase Um Segundo, A Novidade, Alagados, Uma Brasileira, Óculos

BIS

Perplexo, Romance Ideal, Ela Disse Adeus, Caleidoscópio, Meu Erro. Tocaram mais uma vez: Romance Ideal e Lanterna dos Afogados

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.