Vamos ser sinceros: Fina Estampa é ruim demais

Novela voltou ao ar por causa da pandemia do coronavírus para substituir Amor de Mãe, que teve suas gravações interrompidas

Christiane Torloni dá um tom de vilã da Disney a sua Tereza Cristina

Christiane Torloni dá um tom de vilã da Disney a sua Tereza Cristina

Divulgação/Globo

Fina Estampa, a novela de 2011 que voltou ao ar por causa da pandemia, é mais uma prova de que grande audiência nem sempre significa qualidade.

Ver agora essa reapresentação mostra como a novela criada por Aguinaldo Silva envelheceu mal. E não demorou muito para isso acontecer, já que foi sucedida por Avenida Brasil, que deu menos audiência no geral mas modificou muito o que se imaginava de uma novela das 21h até aquele momento.

Hoje em dia é impensável ver uma trama das 21h da Globo com aquele padrão de Fina Estampa. Cenários que realmente parece cenários, uma dezena de atores muito muito fracos e um roteiro sempre capenga.

É bem verdade que Aguinaldo tenta dar um tom farsesco a sua história, com elementos claramente irreais. Tereza Cristina, personagem de Christiane Torloni, por exemplo, é muito inspirada numa vilã qualquer da Disney. Está bem longe da realidade e a intenção do autor era essa mesmo. Mas isso não é desculpa para um roteiro fraco, com um texto que faz a gente ter um misto de sono com aquela sensação de “é isso mesmo o que eu acabei de ouvir”?

Aguinaldo tentou seguir por esse caminho de fantasia e farsa em suas novelas das 21h que vieram a seguir e meio que se deu mal. Foram elas Império (2014) e O Sétimo Guardião (2018), sendo que a primeira decepcionou um pouco e a segunda foi uma decepção completa. Tanto é que depois da ruindade de O Sétimo Guardião e toda a sua confusão jurídica (ela foi criada em parte por alunos de um curso de Silva), o roteirista não teve seu contrato de décadas renovado com a Globo.

Não que Fina Estampa não tenha coisas boas. Tem sim, até porque foi mesmo um sucesso de público na época e continua com boa recepção nesse seu retorno. Tereza Cristina é uma personagem interessante e Christiane a interpreta muito bem. O apelo popular, que muitos torcem o nariz, é algo que não é fácil de conseguir e foi isso que tornou a trama um sucesso. O personagem Crô, interpretado por Marcelo Serrado, foi um achado do autor. Até ganhou dois longas-metragens, o que é algo bem incomum de acontecer.

Mas o acúmulo de atores fracos em destaque, a história sem rumo, diálogos sem noção e cenários ruins acabam escondendo o que Fina Estampa tem de bom. E se isso não ficava muito claro na época, nessa reapresentação é algo gritante.

Últimas