Volta de Michael Keaton como Batman pode salvar a DC no cinema

O ator está em negociação para interpretar o Homem-Morcego novamente no cinema. Ele foi o herói no fim dos anos 80 e início dos 90

Michael Keaton em foto de divulgação do filme do Batman dos anos 80

Michael Keaton em foto de divulgação do filme do Batman dos anos 80

Divulgação

Ele foi o primeiro Batman do cinema e pode voltar a usar a capa e o capuz do Homem-Morcego novamente. Sim, Michael Keaton está em negociação para interpretar Batman uma vez mais no cinema. Mas calma que a história é meio complicada.

É assim: se tudo der certo e as negociações chegarem a um final feliz, o ator irá aparecer como Batman no filme do Flash, que deve estrear em 2022. É assim: nesse longa de estreia do herói superveloz no cinema, ele fará uma viagem no tempo para impedir a morte de sua mãe. Nessa sua busca, surge o multiverso, que é um elemento fundamental nos quadrinhos da DC Comics. Isso quer dizer que não há apenas um universo, mas sim vários coexistindo ao mesmo tempo e separados apenas por fendas temporais. Assim, há vários Supermen, Batmen, Mulheres-Maravilhas e todos os outros heróis. Mas eles são pessoas diferentes e com histórias diferentes. E quando o Flash vai para o passado, acaba indo parar no universo em que o Batman é aquele que apareceu nos dois filmes do herói dirigidos por Tim Burton em 1989 e 1992, Batman e Batman: O Retorno, respectivamente.

Batman e uma de suas arminhas bacanas

Batman e uma de suas arminhas bacanas

Divulgação

Nesse filme, Keaton seria um Homem-Morcego já bem mais velho, claro. Afinal já se passaram mais de trinta anos. O herói teria, nesse mundo, um papel de mentor de jovens super-heróis do universo DC, como o próprio Flash, Batgirl e outros que venham a surgir em filmes no futuro. Além disso, a presença deste Batman também pode explicar o sumiço do Batman interpretado por Ben Affleck nos longas mais recentes [o ator não interpreta mais o personagem]. Segundo o site The Wrap, Keaton está nesse momento em negociação para voltar a interpretar Batman.

COISA BOA

E por que essa é uma ótima notícia? Basicamente, por dois motivos. O primeiro é que Michael Keaton faz parte da memória afetiva de todo mundo que é fã de super-heróis e, mais especificamente, aqueles que viram os dois longas protagonizados por ele no cinema. Batman, o filme lançado em 1989, foi um imenso sucesso. A Warner criou um esquema de publicidade gigantesco e que criou uma expectativa enorme pela estreia da produção. Meses antes de o filme estrear, o símbolo do Batman estava espalhado pelo mundo todo e os fãs aguardavam a chegada aos cinemas com uma ansiedade poucas vezes vista até então na história do cinema. Esse esquema de publicidade passou a ser usual depois disso. E o filme, embora muitos críticos e fãs discordem, entregou o que prometeu: um Homem-Morcego mais próximo dos quadrinhos, sombrio, sério e imponente. Distanciou-se completamente da imagem que o seriado dos anos 60 deixou do herói. Enfim, o longa foi uma bomba nuclear de sucesso.

O ator Ezra Miller como Flash

O ator Ezra Miller como Flash

Divulgação

O outro motivo é que essa ideia de colocar o multiverso nas telas é uma jogada extremamente benéfica para a DC Comics. É que ela pode ser a salvação do universo da editora no cinema. Como você deve saber, com O Homem de Aço, Batman v Superman, Mulher-Maravilha, Aquaman e Liga da Justiça, a Warner (dona da DC) estava tentando criar um mundo coeso para os personagens, assim como a Marvel já tem. Não deu certo e tudo ficou pelo caminho. Sob o comado de Zack Snyder, esse projeto naufragou bonito, tanto é que longas mais recentes como Shazam e Aves de Rapina nem fazem menção a esse universo. Mas, com essa jogada do multiverso, isso pode voltar a existir. Vale lembrar que o Flash deve ser interpretado por Ezra Miller, o mesmo que viveu o herói da velocidade no filme da Liga.

Veja umas ceninhas de Keaton como Batman:

Além disso, todas as bobagens que a DC/Warner fizeram nesses últimos longas, como Batman v Superman e Liga da Justiça, podem muito bem ser jogadas para um outro universo. Tudo o que vimos pode ter acontecido num mundo que não seria o "oficial" e o que passa a valer mesmo seria apenas o que virá a partir de 2022 ou algo assim. Seria um movimento esperto.

Ah, tem um detalhe: The Batman, filme que está sendo produzido e que tem Robert Pattinson como o herói, aparentemente não entra nessa brincadeira. Esse longa deve permanecer separado do universo da DC Comics, assim como aconteceu com Coringa. Mas isso é também um grande “talvez”. Porque se há um multiverso, o Homem-Morcego de Pattinson também pode entrar aí, certo? Certo.