Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Casais formados na pandemia celebram o Dia do Namorados com jantar a dois e casamento à vista

Nathasha e Renato e Ana Flávia e Ricardo se conheceram pela web em 2020; agora, falam sobre a relação e os planos para o futuro

Viva a Vida|Brenda Marques, do R7

Foto do ensaio pré-casamento de Natasha e Renato
Foto do ensaio pré-casamento de Natasha e Renato Foto do ensaio pré-casamento de Natasha e Renato

Conhecer pessoas durante a pandemia de Covid-19 virou um desafio para os solteiros, já que, na falta de vacinas, o isolamento social foi a principal recomendação para evitar o contágio pelo coronavírus. Nesse contexto, casais tiveram o primeiro contato no ambiente virtual. O R7 contou a história de dois deles. Agora, mais de um ano depois, as duplas dizem que o relacionamento evoluiu à base de companheirismo, diálogo, divisão de tarefas, viagens, lanches e memes.

Nathasha Chrysthie da Silva, de 28 anos, e Renato de Oliveira, 30, se conheceram em junho de 2020, por meio de um aplicativo. O primeiro encontro rolou uma semama depois, na praia — regado a álcool em gel e uso de máscara. Em março de 2021, o casal já tinha resolvido morar junto.

O plano se concretizou em setembro, quando Renato, que morava em Guapimirim (RJ), foi definitivamente para a capital fluminense e os dois se mudaram para um apartamento. De acordo com a escritora, a convivência sob o mesmo teto "tem sido ótima".

"Ele é bem mais participativo do que eu imaginava. A nossa dinâmica em relação às tarefas de casa é muito boa. Ele tem mais mania de limpeza do que eu, a gente divide bem [os afazeres] e não foi nada de surpreendente de forma negativa. Tem sido uma boa experiência", afirma ela.

Publicidade
Nathasha e Renato vão casar em julho
Nathasha e Renato vão casar em julho Nathasha e Renato vão casar em julho

Desde o segundo encontro, os dois passaram a se ver na casa dela, o que ajudou o casal a criar intimidade mais rápido. Atualmente, eles estão aproveitando o arrefecimento da pandemia para curtir com os amigos. "Foi bom pra gente se conhecer muito antes, e agora conhecer pessoas próximas tem sido legal", avalia Nathasha.

O Dia dos Namorados, inclusive, será comemorado em grupo, com amigos da faculdade dela. "Este ano vamos passar na casa de uma amiga minha. Ela casou e se mudou há um ano, mas ainda não tinha conseguido alugar a churrasqueira [do prédio] por causa das restrições na pandemia", conta.

Publicidade

Nathasha e Renato também vão subir ao altar no dia 17 de julho. Já está tudo pronto e o casal até protagonizou um ensaio romântico de fotos para o grande dia. "É muita ansiedade para o casamento. A gente começou a planejar em julho do ano passado e agora já está pertinho", comemora a jovem. 

Leia também

Ricardo e Ana Flávia
Ricardo e Ana Flávia Ricardo e Ana Flávia

Um meme da Gretchen publicado por Ana Flávia de Cezaro, de 27 anos, em um grupo de paquera no Facebook, em outubro de 2020, serviu de pontapé para o flerte entre ela e Ricardo Spall, 41.

Publicidade

O primeiro encontro também aconteceu uma semana depois — sem toques, mas com oito horas de conversa. Já o primeiro beijo rolou na terceira saída — por motivos de timidez e pandemia.

O namoro começou um mês depois, em 30 de novembro daquele ano. Os dois seguem percorrendo os 70 km que separam Balneário Camboriú de Blumenau, em Santa Catarina, para se encontrar. "Continua a mesma coisa. Ele trabalha por escala e eu de segunda a sexta. Ou ele vem pra cá ou eu vou pra lá", conta Ana Flávia, que mora e estuda psicologia em Balneário.

Em março de 2021, quando conversou com o R7, Ricardo ainda não tinha conhecido a família dela, que mora em Palmitinho (RS). Ana conta que a apresentação ocorreu pouco depois disso. "Eu acho que fomos logo em seguida. Ele teve o primeiro contato, foi bem recebido. Depois, fomos novamente em dezembro, quando eu estava de férias. Ele ficou dois dias e depois voltou", lembra.

Ana conheceu pessoalmente a mãe de Ricardo, que mora em Blumenau (SC), e algumas tias dele por videochamada. Para a jovem, o momento mais marcante da relação — fora as viagens a dois — foi apresentá-lo à família dela. Ele se dá bem com todos, apesar de divergências de opinião.

"Tem alguns assuntos mais polêmicos, de política, mas ele é diplomático e sabe contornar a situação", afirma a estudante.

Depois de um ano e sete meses, ao fazer uma retrospectiva, Ana conclui que o relacionamento tem como pilar o bom humor. "Temos equilíbrio. A gente briga, mas normal. Eu sou bem difícil. Sei que tenho personalidade forte e luto para que as coisas sejam concretizadas. Já ele é bem teimoso. Mas eu acho que o que nos sustenta é o bom humor, estamos sempre brincando e fazendo piada", analisa. "Sinceramente, se não tiver bom humor, vai tudo ladeira abaixo", completa.

Além disso, os momentos a dois são marcados por gastronomia e afeto. Os dois adoram comer e cozinhar. Desde que se conheceram, desenvolveram habilidades no churrasco. "A minha família faz bastante lá em Palmitinho. Eu sempre observei, e aprendemos [a preparar] juntos", conta. "Ele também faz um arroz com calabresa muito bom", comenta.

Ana e Ricardo no Petar - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, em SP
Ana e Ricardo no Petar - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, em SP Ana e Ricardo no Petar - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, em SP

Ana foi para Blumenau na sexta-feira (10) para visitar Ricardo e a sogra. Neste domingo (12), o casal foi para Balneário Camboriú. "Para curtir o Dia dos Namorados com mais privacidade", explica.

A data vai ser comemorada com um jantar romântico. Ana diz que seu carro-chefe na cozinha é o espaguete à carbonara, mas ela pretende inovar. "Vou fazer salmão ao molho de laranja. Ainda não contei a ele. Acho que vou mandar o meme do 'olá, Marilene, à noite tainha, vinho e muito sexo' para dar uma dica", afirma, aos risos.

O casal faz planos de morar junto, mas só depois que Ana se formar, daqui a um ano e meio. "A gente teve uma conversa neste fim de semana [que passou] porque ele trabalha na Eletrobras, que vai ser privatizada, e estamos pensando para onde a gente vai", conta.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.