Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Aprendiz de cozinheira
Publicidade

Conheça a pimenta certa para cada tipo de prato

Carolina Reaper é a pimenta mais forte do mundo, reconhecida pelo Guinness Book World Records

Aprendiz de Cozinheira|Aline Sordili


Escolha a pimenta certa para o seu prato
Escolha a pimenta certa para o seu prato

Tive a chance de provar um salgadinho feito com a pimenta mais forte do mundo. E posso dizer: é forte demais! Até mesmo para uma pessoa pimenteira como eu, as amêndoas cobertas com pó feito de Carolina Reaper são uma porrada.

Salgadinho com a pimenta Carolina Reaper
Salgadinho com a pimenta Carolina Reaper

A Carolina Reaper é atualmente considerada a pimenta mais forte do mundo. Ela é uma pimenta de laboratório, resultado do cruzamento entre a pimenta Ghost Pepper (Bhut Jolokia) e a pimenta Red Habanero.

Foi reconhecida pelo Guinness Book World Records em 2013 como a pimenta mais picante do mundo, atingindo a escala de calor com uma média de mais de 2,2 milhões de Unidades de Calor Scoville (SHU). O teor de picância das pimentas é medido pela escala de Scoville, que vai do zero (pimentão) aos 500.000 (habanero, por exemplo). Tirando a Carolina Reaper, que explodiu a escala!

A ardência da pimenta vem da casca e da semente. Se estiver em conserva, o líquido que ela estiver imersa vai ficar bem forte, principalmente se for feito com óleo ou azeite, que extraem mais a picância da casca. Se for preparar algum prato e picar pimenta fresca, retire as sementes e a parte branca para reduzir a sensação de ardor ao comer.

Publicidade
Livro mostra como usar as pimentas na cozinha
Livro mostra como usar as pimentas na cozinha

Mas, neste post, não vou falar só das pimentas mais fortes. Vou apresentar as pimentas que servem e são usadas como temperos para cozinhar no dia-a-dia. Uma boa referência para quem quiser se aprofundar no assunto é o livro Dicionário Gastronômico Pimentas com suas Receitas (Nelusko Linguanotto Neto), que traz sempre uma receitinha para cada tipo de pimenta. 

Linguanotto Neto divide as pimentas em três tipos: as Piperáceas (onde está classificada a família da pimenta-do-reino), as Capscicum (que são as pimentas de horta) e as falsas pimentas (como a pimenta rosa, a síria e a da Jamaica).

Publicidade

Como eu já falei em posts anteriores, é importante experimentar diferentes tipos de pimenta para descobrir qual se adapta melhor ao seu paladar e ao prato que você está preparando. Lembrando que as pimentas, se colocadas no início dos preparos, ficam “fortes” e bem presentes até o final da garfada. Adicionadas no final dos preparos, ficam mais picantes e frescas. Aqui, você pode ler o post sobre ervas. E neste link, o post sobre especiarias.

Vamos agora a alguns dos principais tipos de pimenta para cozinhar no dia-a-dia:

Pimenta dedo-de-moça

É uma das pimentas mais populares do mundo. Quando está na versão seca e moída, vira a nossa querida “pimenta calabresa”. Ela é comprida como um dedo (óbvio!), de cor verde ou vermelha, e tem um sabor forte e picante. A pimenta dedo-de-moça é usada em pratos da culinária brasileira, mexicana, tailandesa e caribenha.

Pimenta caiena

Na versão fresca, ela parece a pimenta dedo-de-moça. É também conhecida como pimenta vermelha, é uma pimenta bem picante e geralmente é usada em pó. Em Portugal, se chama piripiri. Vai muito bem em pratos mexicanos, asiáticos e indianos. Eu uso bastante em ovos, frangos e carne. Dá uma picância especial.

Pimenta de cheiro

É uma pimenta aromática, de sabor suave e levemente picante. Em formato oval e pode ser vermelha, amarela, laranja, roxa ou verde. É muito comum na culinária brasileira, especialmente em pratos como feijoada, moqueca e todos os tipos de peixe.

Pimenta habanero

É uma das pimentas mais picantes do mundo, originária do Caribe. A habanero é uma pimenta grande, de cor vermelha, e tem um sabor frutado e picante. Deve ser usada com cautela. Geralmente é usada em molhos e pratos da culinária caribenha e mexicana. Arrisque e coloque em sucos e sobremesas.

Pimenta jalapeño

É uma pimenta moderadamente picante, originária do México. De cor verde ou vermelha, tem um sabor picante e terroso. É frequentemente usada em pratos como nachos, tacos e guacamole. Mas pode ser usada em conserva (como picles para acompanhar seu hambúrguer) e recheada com queijo ou carne. Fica bem também em cozidos, mas lembre-se da picância que quer e escolha usar no começo ou no final.

Pimenta do reino

É uma das pimentas mais comuns e muito usada. Seu tipo rende três “tipos” de pimentas: reino preta, reino branca e a verde. A preta é seca, a branca é a verde sem cascas e a verde é a pimenta in natura, apesar de também ser vendida em conserva. Sempre prefira as pimentas em grãos para moer na hora _nunca a moída, que perde o sabor, a intensidade e ainda pode vir com outras coisas misturadas. 

Pimenta malagueta

É uma pimenta pequena e bastante picante. Para saber o que está comprando, é só ver se ela se parece com uma mini-pimenta dedo-de-moça. Pode ser consumida quando ainda está verde ou quando já amadureceu e fica vermelhinha. É usada na culinária latino-americana e caribenha. Muito consumida também em molhos, conservas e pratos típicos de países como Brasil, México e Tailândia.

Pimenta serrano

Similar à jalapeño, mas um pouco mais picante. É uma pimenta pequena, de cor verde, e tem um sabor picante e fresco. É usada em saladas, molhos, salsa e pratos mexicanos.

Pimenta Sichuan

É uma pimenta chinesa, originária da província de Sichuan, conhecida por seu sabor único e picância formigante. É comumente usada em pratos da culinária chinesa, especialmente em pratos apimentados e em molhos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.