Bloco de Ludmilla termina com briga e confusão no centro do Rio

Tumulto teve início por volta de 12h20 e a Polícia Militar precisou intervir;  músicos deixaram o palco após som ser desligado

Tumulto generalizado acabou com festa em bloco carnavalesco

Tumulto generalizado acabou com festa em bloco carnavalesco

ALEXANDRE DURÃO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO/05.03.2019

Uma confusão generalizada encerrou o bloco Fervo da Lud, da cantora Ludmilla, na rua Primeiro de Março, no centro do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (5). 

A Prefeitura do Rio informou que 217 foliões que estavam no local foram atendidos em postos médicos. Um suspeito foi levado à 5ª DP (Mem de Sá) e vai responder pelos crimes de lesão corporal e resistência, segundo a Polícia Civil.

O tumulto teve início por volta de 12h20. Com a intervenção de policiais militares, houve correria e o público dispersou. Já os músicos deixaram o palco após o som ser desligado. O bloco terminou 45 minutos antes do horário previsto.

Ludmilla atrai multidão em bloco no centro do Rio de Janeiro

Alexandre Durão/Código19 - 05.03.2019

Nas redes sociais, foliões disseram que a PM usou bombas de efeito moral contra a multidão.

Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio Janeiro esclareceu, por meio de nota, que foi feito um cordão de isolamento por policiais militares em conjunto com seguranças do bloco em volta do trio elétrico para conter a multidão.

Ainda segundo a secretaria, três policiais ficaram feridos e uma pessoa foi presa por agredir um policial.

A atração reuniu um grande público. Cerca de 1,5 milhão de pessoas, segundo os organizadores, enfrentaram um forte calor, com termômetros acima dos 30º C, para curtir o Carnaval no ritmo de funk.

A Secretaria Municipal da Casa Civil afirmou que ao tomar conhecimento do ocorrido, o presidente da Riotur, Marcelo Alves, solicitou reforço de policiamento para os desfiles programados ao Governo do Estado. A Guarda Municipal da Prefeitura tem 5493 agentes envolvidos no apoio à segurança e no ordenamento público durante o Carnaval.

Ainda segundo a Secretaria, as alterações de regras definidas pela Riotur para os desfiles dos cerca de 500 blocos e bandas previstos para 2019 evitaram consequências mais sérias.