Famosos e TV Gisele Bündchen revela ataques de pânico aos 22 anos

Gisele Bündchen revela ataques de pânico aos 22 anos

Modelo, empresária e ativista ambiental falou sobre ter mais contato com a natureza e fincar os pés descalços na terra

"Me sinto muito bem de pés descalços", disse a modelo

"Me sinto muito bem de pés descalços", disse a modelo

Reprodução/Instagram

Gisele Bündchen revelou nas redes sociais ter tido um ataques de pânico aos 22 anos. A declaração foi feita em um vídeo em que a modelo, empresária e ativista ambiental fala sobre a importância de se ter mais contato com a natureza. 

"A minha infância foi o melhor momento da minha vida, foi o que até hoje eu procuro sentir novamente. Eu dei meio que uma reviravolta. Sai de uma vida muito simples, vivi uma vida muito glamurosa, e só o que eu quero de volta é essa simplicidade de estar conectada com a natureza", iniciou.

"Eu fiz essa tatuagem da estrela (mostrou a parte interna do punho), quando eu fui pela primeira vez para Nova York, porque eu sempre estava acostumada a olhar para as estrelas assim que eu rezava. E quando eu cheguei em Nova York, não tinha uma estrela no céu. Eu abria a janela e não tinha estrela. Aquilo foi muito estranho para mim. Até em São Paulo tinha mais natureza do que tinha em Nova York. Porque São Paulo, quando eu mudei para lá com 14 anos, já foi um momento difícil, porque eu não saia de casa de pé descalço, morava em apartamento, já não estava mais tão perto da natureza como eu gostava, como eu cresci, como eu gosto de estar", contou.

Neste momento, Gisele faz a revelação. "Eu tive ataques de pânico quando eu tinha os meus 22, 23 anos. Digo que o que me ajuda muito é: vai lá, entra numa floresta, tira o seu sapato, respira e sente a natureza. Eu acho que se a gente fizesse isso todo o dia, óbvio que não é todo o dia que a gente tem uma floresta do nosso lado, mas sempre tem um pedacinho de terra. Ou se for da areia, do mar, ou se for na grama, na terra, na lama. É minha força, essa conexão com a natureza, na minha visão é a melhor medicina que existe", afirmou.

E seguiu. "Se todo o dia a gente pudesse andar de pé descalço e sentir a terra... é tão bom, eu me sinto aterrada, é como se a terra pegasse tudo o que eu preciso e descarregar e me enchesse de energia e coisas boas, então me sinto muito bem de pés descalços", falou.

E concluiu. "Acho que a Mãe Terra tem dado muitos sinais de que nós estamos em desequilíbrio. A gente tem sempre que procurar olhar a natureza, porque acho que a natureza sempre tem as respostas. Tudo isso que está acontecendo agora (ela se refere à pandemia) é um processo de aprendizado para todo mundo, todos nós, no coletivo. Eu, inclusive, tenho aquele momento de estar na rodinha do ramister, só correndo e pensado 'para onde a gente está correndo?'. Acho que quando isso acontece, é uma oportunidade da gente quebrar a rotina, refletir, parar e realmente se reconectar com nós mesmo e tomar decisões que estão mais coerentes com o que realmente a gente quer viver. Parar e não se sentir que está parando, porque todo mundo está parando", disse.

Gisele encerrou o vídeo com a música Trem-Bala, de Ana Vilela.

Assista!

Últimas