Lima Duarte homenageia Flavio Migliaccio em vídeo emocionante

Ator relembrou da época em que eles participavam do Teatro de Arena e como eles lidavam com a Ditadura Militar

Lima Duarte lamenta morte de Flávio Migliaccio

Lima Duarte lamenta morte de Flávio Migliaccio

Reprodução/TV Globo

Lima Duarte publicou vídeo na noite de terça-feira (5) em homenagem ao amigo Flavio Migliaccio, morto na última segunda-feira.

O ator relembrou da época em que eles iniciaram a carreira, na década de 1960, e ajudaram a criar o Teatro de Arena, em São Paulo.

Na época, em meio à Ditadura, eles criaram uma expressão teatral que não era influenciada pela produção norte-americana e que exaltava os atores e autores nacionais.

"Eu te entendo, Migliaccio, porque eu, como você, sou do Teatro de Arena, com Paulo José, Chico de Assis, com o (Gianfrancesco) Guarnieri. Foi lá que aprendemos com o (Augusto) Boal que era preciso, era urgente que se pusesse o brasileiro em cena", falou no vídeo de quase cinco minutos.

Ao final, Lima Duarte diz: "Os que lavam as mãos, o fazem numa bacia de sangue". É uma referência a uma fala de um personagem, Pedro Jáqueras, da peça Os Fuzis da Senhora Carrar (1937), de Bertolt Brecht, que ele interpretou no Teatro de Arena.

Migliaccio foi encontrado morto na manhã de segunda-feira (04) em seu sítio em Rio Bonito, no Rio de Janeiro. O ator tinha 85 anos e teria deixado uma carta de despedida para família.

Flávio teve uma carreira consagrada na dramaturgia, tanto na televisão, como no cinema. Grandes personagens marcaram a carreira do artista que ficou conhecindo por interpretar Tio Maneco, do filme Aventuras com Tio Maneco e Maneco, Xerife, da novela O Primeiro Amor e do seriado infantil Shazan, e Seu Chalita, da série Tapas e Beijos. O último trabalho de Flávio na televisão foi na novela Órfãos da Terra, exibida em 2019.