Entretenimento Morre aos 88 anos Monarco, presidente de honra da Portela

Morre aos 88 anos Monarco, presidente de honra da Portela

Símbolo de uma das escolas de samba mais tradicionais do Brasil, o músico não resistiu a complicações de cirurgia no intestino

Monarco era presidente de honra da escola de samba Portela

Monarco era presidente de honra da escola de samba Portela

Reprodução/ G.R.E.S Portela

O sambista Monarco morreu neste sábado (11), aos 88 anos, na cidade do Rio de Janeiro. Segundo a escola de samba Portela, o músico estava internado desde novembro no Hospital Federal Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio, onde se internou para fazer uma cirurgia no intestino. Ele não teria resistido a complicações do procedimento.

"O presidente Luis Carlos Magalhães, o vice-presidente Fábio Pavão, a Velha Guarda Show da Portela, a Galeria da Velha Guarda e toda a diretoria da Majestade do Samba lamentam o falecimento e se solidarizam com os familiares, amigos e fãs", afirmou a escola de samba nas redes sociais, em homenagem ao seu presidente de honra.

Hildemar Diniz nasceu no Rio de Janeiro e ganhou o apelido de "Monarco" ainda jovem, fruto de suas participações nos sambas da cidade. Aos 17 anos, o jovem já era um dos compositores da Portela. 

O primeiro disco do músico saiu no ano de 1976 e trouxe sucessos como Glórias do Samba, O Quitandeiro e Lenço. Em 1980, o segundo disco, Terreiro, marcou uma das canções mais famosas do compositor, símbolo de uma das escolas de samba mais tradicionais do Brasil. 

Após ser vacinado contra a Covid-19, Monarco voltou aos palcos a partir de 2021. Sua última aparição ocorreu em outubro deste ano, durante evento da Portela.

Últimas