Grupo de k-pop CLC fala sobre futuro, empoderamento e TikTok

Em entrevista ao R7, banda falou sobre significado da música 'Helicopter', importância das redes sociais, mudança na carreira e Brasil

Depois de mais de um ano, grupo de k-pop CLC lançou nova música, Helicopter

Depois de mais de um ano, grupo de k-pop CLC lançou nova música, Helicopter

Divulgação/ CUBE Entertainment

Desde os primórdios da humanidade, a incerteza do que o futuro pode trazer sempre foi uma questão que incomodou filósofos, pensadores, poetas e o cidadão comum. O tema foi discutido por gerações nas artes e muitos tentaram criar técnicas para tentar descobrir com precisão o que aconteceria no futuro.

Gerações e milênios se passaram e ninguém nunca descobriu o que vai acontecer, mas os sentimentos que a incerteza do futuro evocam se tornaram outro objeto de estudo e discussão. Enquanto para alguns pensar no que está por vir pode ser causa de ansiedade e angústia, para outros, essa questão desperta o lado mais aventureiro dentro de si.

Essa curiosidade e incerteza do futuro são o tema central da nova música de trabalho do grupo de k-pop CLC. Com Helicopter, as sete meninas (Seungyeon, Seunghee, Yujin, Sorn, Eunbin, Yeeun e Elkie) falam sobre como os objetivos e ambições que têm as motivam para seguir cada vez mais alto e cada vez mais longe, sem medo dos problemas que podem encontrar no caminho.

"Helicopter é uma metáfora para todas as sete de nós decolando, encarando os nossos medos e desafios no futuro. Nós não sabemos o que vai acontecer, mas como nós temos confiança e estamos juntas, acreditamos que podemos fazer o que quisermos", disse a vocalista Sorn.

A música é o primeiro lançamento do grupo em mais de um ano, depois de Devil, em 2019. Longas pausas entre um lançamento e outro não são comuns no k-pop, o que fez com que os fãs do grupo, chamados de "cheshire", levantassem tags no Twitter perguntando onde estava o CLC.

Apesar da demora para o retorno, Helicopter se tornou um dos maiores lançamentos do grupo, acumulando mais de 25 milhões de visualizações no clipe oficial em uma semana. A música contou com a participação de todas as meninas, conta a rapper Yeeun, que disse que "esse foi o álbum o qual elas mais participaram".

Amadurecimento e girl power

No último domingo (6), o grupo celebrou 2 mil dias desde o debut, em 2015. Nos cinco anos de atividade, CLC passou por uma mudança radical e diversos altos e baixos na carreira, segundo Sorn.

"Eu sinto que nós amadurecemos depois de tudo o que nós passamos e, apesar de não ter sido um caminho fácil para nós, conseguimos amadurecer e nos tornamos mais fortes e capazes de entregar melhores performances", afirmou.

Quando as meninas estrearam, o grupo era conhecido pelo conceito fofo, músicas chiclete e clipes recheados de tons pastéis. A fase fofa durou dois anos, até que o CLC lançou o mini-álbum CRYSTYLE em 2017, com Hobgoblin de single.

Depois disso, as meninas lançaram outros singles cujos temas centrais eram amor-próprio e mensagens empoderadas, como a música NO, em que elas recusam marcas estereotipadas de feminilidade e dizem que querem se sentir bonitas da forma que são.

"A maior mensagem que nós queremos passar é o amor-próprio e sentimos que, para isso, músicas mais ousadas seriam mais apropriadas", explicou Yeeun. "E também tem a ver com a mudança na ideologia da sociedade e todos os pensamentos por trás disso", completou.

Presença nas redes sociais e TikTok

No k-pop, não é tão comum encontrar idols que tenham controle absoluto de suas redes sociais. No CLC, todas as meninas têm contas no Instagram, que usam com bastante frequência, além de contas no TikTok. Além disso, a vocalista Sorn tem o próprio canal no YouTube.

Com isso, as meninas conseguem conversar e interagir direta e livremente com os fãs e os manter atualizados de tudo o que está acontecendo, principalmente enquanto não lançam novas músicas e durante a quarentena, que impede que programas musicais tenham plateia e que eventos com os fãs aconteçam.

"Redes sociais são importantes porque é como nós nos conectamos com o mundo e, como nós temos muito para compartilhar com tantas pessoas pelo mundo, nós precisamos nos conectar com eles", disse Sorn.

No TikTok, rede social preferida das meninas durante a quarentena, a líder e dançarina principal Seungyeon participou do Wap Challenge, de Cardi B, e chegou a ser notada pela rapper no Twitter.

No perfil de Sorn na rede social, a vocalista acompanhou todas as tendências engraçadas do aplicativo, e reserva para o canal do YouTube o lado mais maduro.

"Eu posso mostrar quem eu realmente sou e falar de coisa mais sérias. Eu quero que meus fãs se sintam conectados", disse. "Eu quero falar sobre coisas que as pessoas normalmente não falam sobre. Eu acho que muitas celebridades e artistas de k-pop estão falando sobre isso esses dias e eu fico feliz de ser uma das pessoas que pode representar meninas mais novas e inspirar outros jovens, também", complementou.

Mensagem para o Brasil

Nos cinco anos de carreira, o CLC ainda não teve uma turnê mundial, mas as meninas já disseram pelas redes sociais que adorariam poder viajar pelo mundo e conhecer os fãs.

"Eu fico surpresa de ouvir que temos 'cheshires' no Brasil, mas sou grata pelo apoio de tão longe e espero que possamos nos encontrar", contou Seungyeon, que disse que considera o Brasil o país da paixão.

"Nós podemos estar muito longe, mas nossos corações estão perto e eu espero ser capaz de conhecer os fãs logos. Fiquem bem!", completou Eunbin.