Festival de Veneza começa com gesto de apoio a indústria fragilizada

FILME-FESTIVAL-VENEZA-FRAGILIZADA:Festival de Veneza começa com gesto de apoio a indústria fragilizada

VENEZA (Reuters) - Os chefes dos principais festivais de cinema da Europa se reuniram para a abertura do Festival Internacional de Cinema de Veneza nesta quarta-feira para dar uma demonstração de solidariedade a uma indústria que foi atingida duramente pela pandemia de coronavírus.

O diretor do Festival de Cannes, o maior do mundo, e suas contrapartes dos festivais de Berlim, Roterdã, San Sebastián, Locarno, Karlovy Vary e Londres viajaram a Veneza para o primeiro evento internacional do tipo a acontecer desde que a crise de saúde praticamente congelou o mundo do cinema.

"Não é por nós, tudo que estamos fazendo e estamos tentando fazer... é pelo trabalho, é pelos filmes, é pelos diretores", disse o chefe de Cannes, Thierry Frémaux, cujo próprio festival não pode acontecer tal como planejado no primeiro semestre.

"Durante nossa conversa de março, todos nós sentimos a grande solidão dos artistas, que também se perguntaram o que aconteceria. Tanta filmagem interrompida, muitos lançamentos foram cancelados, e a simples ideia de que o festival poderia prosseguir com os cinemas fechados... lhes fez algum bem."

A atriz australiana Cate Blanchett, que preside o júri que concede os prêmios de Veneza neste ano, disse que também quis demonstrar apoio aos cineastas que tiveram que completar seus filmes em circunstâncias desafiadoras.

"É tão bom que haja tantos chefes de festivais do mundo todo vindo apoiar Veneza e percebendo que, na verdade, isso é... apoiar várias facetas diferentes da mesma indústria", disse ela.

Como os casos de coronavírus voltaram a aumentar na Itália e em outras partes, um protocolo de segurança rígido foi adotado, inclusive o uso de máscaras para assistir filmes.

(Por Hanna Rantala e Sarah Mills)