Odair Braz Jr "Novo" Batman Eternamente pode resgatar o nome de Joel Schumacher

"Novo" Batman Eternamente pode resgatar o nome de Joel Schumacher

Cenas inéditas mostram que o diretor tinha uma visão do Homem-Morcego que não chegou às telas; Fãs pedem o lançamento do material

  • Odair Braz Jr | Do R7

Val Kilmer como Batman e Chris O'Donnell como Robin

Val Kilmer como Batman e Chris O'Donnell como Robin

Divulgação

O SnyderCut está virando moda. Os fãs do Batman começaram uma campanha na internet para que a Warner lance uma versão do diretor de Batman Eternamente, filme de 1995 dirigido por Joel Schumacher e que não é muito bem quisto por quem o assistiu e nem pelos críticos. Schumacher morreu no último dia 22 de junho. Como você deve saber, Zack Snyder está refazendo o longa da Liga da Justiça, de 2017.

Enfim, o fato é que a campanha para um “novo” Batman Eternamente está rolando com força total. É que foi revelado há alguns dias que existe uma versão de 170 minutos do filme que mostra muito mais detalhes sobre o Batman/Bruce Wayne interpretado por Val Kilmer. Segundo o podcaster Marc Bernardin, que revelou a existência do material nos cofres da Warner, as cenas mergulham fundo no lado psicológico de Wayne e os detalhes que o levaram a se tornar o Homem-Morcego. Bernardin acredita que essa parte do longa teria ficado de fora porque a Warner queria que Batman Eternamente fosse mais leve e que servisse para vender brinquedos. Essas cenas extras seriam sombrias demais e poderiam espantar a criançada.

O fato é que este terceiro filme do Home-Morcego não foi bem recebido pela crítica e nem foi um grande sucesso. Custou US$ 100 milhões para ser produzido e arrecadou no mundo todo US$ 336 milhões. Parece um bom número, mas não é, até porque tem que entrar nessa conta o custo da publicidade, o que geralmente é algo próximo do próprio orçamento. Então, dá para dizer que Batman Eternamente ficou perto do zero a zero ou, no máximo, deu uns troquinhos para o estúdio.

Ester terceiro longa veio logo após os outros dois dirigidos por Tim Burton, então o material para comparação já era vasto. E Schumacher saiu perdendo aqui e perdeu mais ainda em 1997, quando chegou às telas Batman & Robin, este sim ruim de verdade. Batman Eternamente não é um primor, mas não chega a ser péssimo.

Val Kilmer em cena inédita de Batman Eternamente

Val Kilmer em cena inédita de Batman Eternamente

Reprodução

O lance todo é que Schumacher teve duas chances para se dar bem com o Homem-Morcego e acabou não dando conta do recado. Isso segundo as bilheterias (Batman & Robin deu ainda menos dinheiro) e críticos. Fãs também reclamaram muito. Assim, Schumacher, que já dirigiu ótimos longas — como Um Dia de Fúria (1993) e Tempo de Matar (1996) — e era reconhecidamente um bom diretor, saiu chamuscado com essas duas experiências no mundo dos super-heróis.

E é aí que entra a conversa sobre um “SchumacherCut”, como no caso de Zack Snyder com a Liga da Justiça. Muita gente está defendendo que o diretor morto este ano merece o lançamento dessa nova versão de Batman Eternamente, já que isso mostraria sua verdadeira visão do personagem. E é bem capaz que as coisas sejam mesmo diferentes com essas várias cenas que acabaram ficando de fora. Todo mundo que acompanha cinema sabe que a Warner meteu muito a mão nestes longas do Homem-Morcego, sempre no sentido de torná-los mais palatáveis para o público infanto-juvenil e com a intenção também de vender produtos licenciados. A coerência com o personagem e com os fãs poderia — e foi — deixada de lado.

Assim, pode mesmo ser que Joel Schumacher não tenha tido a chance de entregar os filmes do Batman que tinha em mente. Veja: após Batman & Robin, em 1997, o herói só voltou às telas em 2005. Schumacher foi “acusado” e considerado o responsável pelo sumiço do Homem-Morcego durante tantos anos. É creditado a ele o fim da série de longas do personagem nas telas.

Esta nova versão de Batman Eternamente pode servir como um resgate histórico de Schumacher. Pode ajudar as pessoas a enxergá-lo de maneira diferente, uma vez que é reconhecidamente um ótimo diretor. Ganhou essas machas na carreira com os longas do Homem-Morcego, mas que podem ser removidas de alguma jeito. Mesmo que seja de maneira póstuma.

Últimas