Famosos e TV Após agressão, Alexandre Correa cede guarda do filho a Ana Hickmann

Após agressão, Alexandre Correa cede guarda do filho a Ana Hickmann

Ao R7, advogado explicou que o empresário abriu mão da guarda do filho sob a condição de vê-lo pelo menos uma vez por semana; o casal ficou junto por 25 anos e tem um filho, Alezinho, de 9 anos

  • Famosos e TV | Gilvan Marques, do R7

Ana Hickmann posa ao lado do filho

Ana Hickmann posa ao lado do filho

Reprodução: Instagram (@anahickmann)

O empresário Alexandre Correa, ex-marido de Ana Hickmann, cedeu a guarda do filho à apresentadora do Hoje em Dia, da Record. A informação foi confirmada pelo R7 com o advogado Enio Martins Murad, que faz a defesa do empresário. Ana e Correa ficaram juntos por 25 anos e têm um filho, o pequeno Alezinho, de 9 anos

Segundo o advogado, no processo em que pede o divórcio, o empresário abriu mão da guarda do filho sob a condição de vê-lo pelo menos uma vez por semana — sempre às quartas-feiras — e aos fins de semana a cada 15 dias.

"Quando entrou com a ação de divórcio contra Ana, na própria ação ele já declarou expressamente que abre mão da guarda do filho e que ele só quer o direito de visitar o filho uma vez por semana e a cada 15 dias nos fins de semana", afirmou a defesa ao R7.

Ana acusa Correa de agredi-la

Ana Hickmann teve uma discussão com o marido na mansão do casal, em um condomínio em Itu, cidade localizada a cerca de 100 km da capital paulista, no dia 11 de novembro. Segundo ela, a briga teria começado após uma conversa sobre mudanças na gestão financeira da família.

Clique aqui e receba as notícias do R7 Entretenimento no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Após tê-lo avisado por três vezes, a apresentadora finalmente chamou a polícia, que chegou poucos minutos depois. Ela foi escoltada por três agentes até o pronto-socorro.

Em entrevista à Record, no último domingo (26), a apresentadora contou que havia entrado com um pedido de divórcio litigioso na quarta-feira anterior (22), quatro dias depois da discussão. 

Últimas