Famosos e TV Amiga fala sobre Pamella Holanda: 'Está longe do mal que a cercava'

Amiga fala sobre Pamella Holanda: 'Está longe do mal que a cercava'

A influenciadora denunciou, durante este fim de semana, as agressões físicas que sofria do ex-marido DJ Ivis, na frente da filha

  • Famosos e TV | Do R7

Pamella Holanda acusa o ex-marido, DJ Ivis, de agressão

Pamella Holanda acusa o ex-marido, DJ Ivis, de agressão

Reprodução/Instagram

Uma amiga de Pamella Holanda, ex-mulher de DJ Ivis, usou as redes sociais da influenciadora para informar sobre o estado de saúde de Pamella e da filha dela, Mel, de 9 meses. A amiga também aproveitou a situação para falar da importância de denunciar qualquer caso de violência contra a mulher.

"A Pamela está bem e Mel também. Graças a Deus, estão longe do mal que as cercavam", começou.

"Se você é amiga de alguém que está inserida em um relacionamento abusivo, não deixe essa amizade porque ela ou ele não te escuta e voltam e você se cansou de tudo. É cansativo, sim, frustrante, mas pode acontecer o pior. Por diversas vezes você vai se cansar e até dizer que não quer mais saber, como eu mesma já fiz, mas seja rede de apoio, esteja sempre ali porque um relacionamento abusivo é cercado de dependências. Abandonar uma amiga nessa situação é jogar ela ainda mais para essa dependência emocional. Nós mulheres precisamos de união", escreveu.

Na sequência, ela falou da coragem que Pamella precisou ter para denunciar tudo o que sofreu com o ex-marido: "Minha amiga denunciou, teve coragem, não foi fácil. O cara recebeu milhares de seguidores, foi para o Instagram falar a arma de defesa mais fácil do patriarcado que é chamar a mulher de louca e desequilibrada. Teve a audácia de fazer B.O. e de expor vídeos que só comprovam o quão misógino ele é e ainda está solto. Tudo isso enquanto sua ex mulher tinha e tem medo".

"Pra gente ser ouvida, precisamos gritar. Ao gritar, somos taxadas de loucas, desequilibradas… Somos desacreditadas e questionadas! Não façam isso, principalmente se você for outra mulher. Não se calem", completou.

Por fim, ela falou sobre a importância de acabar com a cultura machista da sociedade. "Por força do hábito, chamamos de monstros, de loucos, mas no fim são homens que acham que tem poder sobre os nossos corpos. Isso quer dizer que todo homem vai fazer isso? Não! E sim que todos nós, incluindo nós, mulheres, fomos criados dentro de uma cultura que privilegia homens, que nos coloca como competidoras da atenção deles e nossos corpos como prêmios de prazer e descarte. Somos cercados deles por aí. Não estão longe, não são doentes. São irmãos, tios, pais... Somos jogadas nessa rede de submissão. Precisamos urgentemente nos unir. Parar de relativizar abusos sejam eles quais forem. Parar de culpabilizar a vítima, de querer respostas para descredibilizá-las. E, principalmente, criar nossos filhos de forma diferente para sair dessa rede de misoginia nojenta."

Entenda o caso

Últimas