Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Entre Pets e Beijos
Publicidade

Moradores da zona norte de São Paulo promovem mutirão de limpeza em 'ParCão'

Espaços para tutores curtirem com seus pets aumentam pelo país

Entre Pets e Beijos|Do R7 e Lidiane Shayuri Hayashi


ParCão Reinaldo Proetti
ParCão Reinaldo Proetti

Quem tem pet ou apenas gosta de animais percebe o crescimento dos locais pet friendly nos mais diversos segmentos. Entre as opções, há espaços gratuitos, como os ParCães. É sobre um deles, na zona norte de São Paulo, que vou falar aqui.

Desde a implantação até hoje, a praça Reinaldo Proetti, mais conhecida como ParCão do Mandaqui, conta com a participação ativa dos moradores da região. O espaço, inaugurado em maio de 2017, foi o primeiro criado na região destinado exclusivamente aos cães. Já recebeu inúmeras melhorias, e o número de frequentadores só aumenta.

Inicialmente delimitado apenas por uma cerca de arame, bancos e brinquedos de madeira, o local conta agora com portão de gradil, coletores de lixo e sacos plásticos — artigos providenciados e instalados com a união de esforços físicos e financeiros dos moradores do bairro e algumas intervenções pontuais da prefeitura, como a troca dos bancos e brinquedos de madeira por estruturas de concreto.

Em 2021: prefeitura realiza melhorias no ParCão Reinaldo Proetti
Em 2021: prefeitura realiza melhorias no ParCão Reinaldo Proetti

A manutenção e a limpeza diária do ParCão são realizadas pelos moradores. Segundo eles, a subprefeitura cuida apenas do entorno.

Publicidade

Por ser uma área de livre circulação, a zeladoria é fundamental. Quanto maior a frequência de tutores e pets, maior o número de parasitas que podem aparecer.

Nas últimas semanas, os moradores notaram a presença de carrapatos e larvas na praça e arregaçaram as mangas.

Publicidade

É tudo tão organizado que o grupo tem até aplicativo de conversa. No total, entre as 86 pessoas, há empresários, advogados, professores de educação física, adestradores, veterinários. São pessoas apaixonadas por animais que uniram conhecimento, dinheiro e vontade de agir.

Pesquisaram e providenciaram substâncias que poderiam ser aplicadas no local sem agredir o meio ambiente; confeccionaram, imprimiram e espalharam com antecedência cartazes de alerta sobre a interdição da área por algumas horas; e promoveram um mutirão de limpeza em 7 de outubro. No dia da ação, 14 pessoas participaram presencialmente.

Veja a situação antes da ação:

Foi um espetáculo de vassouras, rastelos, pás e sacos de lixo. Vários buracos foram tampados:

O resultado: 52 sacos de lixo recheados de folhas de árvores, latas de refrigerante, fezes, estruturas metálicas e gravetos. 

Da esquerda para a direita: médico-veterinário, doutor Murillo Lima; o empresário Arnaldo Riccitelli; o assessor do delegado Bruno Lima na causa "Cadeia para maus-tratos", Paulo Heidrich; o advogado Fábio Souza Ramos; e a empreendedora Lilian Penayo Lizaso Riccitelli
Da esquerda para a direita: médico-veterinário, doutor Murillo Lima; o empresário Arnaldo Riccitelli; o assessor do delegado Bruno Lima na causa "Cadeia para maus-tratos", Paulo Heidrich; o advogado Fábio Souza Ramos; e a empreendedora Lilian Penayo Lizaso Riccitelli

Agora, sim, os pets e tutores podem interagir seguros e felizes!

A intenção e o próximo passo do grupo é pleitear melhorias e ações de limpeza das autoridades. É isso aí, pessoal! Parabéns aos envolvidos!

Por aqui, ninguém solta a pata de ninguém!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.