Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Adega do Déco
Publicidade

Safra 2024 da Argentina tem produção menor, mas vinhos com maior qualidade

Entenda as condições climáticas que influenciaram a safra argentina

Adega do Déco|André RossiOpens in new window


Safra 2024 na Argentina terá vinhos de ótima qualidade Arquivo pessoal/André Rossi

Amanda Barnes, uma das referências em vinhos sul-americanos, divulgou recentemente sua análise sobre a safra de 2024 na Argentina. Segundo Barnes, haverá uma redução na quantidade de produção, mas um aumento na qualidade.

As condições climáticas anuais influenciam significativamente a produção vinícola mundial. Anos quentes resultam em uvas mais maduras, com maior teor de açúcar e menor acidez. Em contraste, anos frios produzem uvas com menos açúcar e, teoricamente, vinhos com menor teor alcoólico. No entanto, variáveis como granizo, geadas, neve e chuvas em períodos inadequados também afetam a qualidade e quantidade do vinho.

Edgardo del Popolo, enólogo da prestigiada vinícola Susana Balbo e do projeto com David Bonomi (enólogo da Norton), afirma que 2024 foi um ano quente, mas com uma colheita excelente, resultando em vinhos com frescor característico de anos mais frios.

Veja também

Durante o inverno e a primavera, dois fatores climáticos se destacaram. Por um lado, houve abundância de chuva e neve no inverno, permitindo aos produtores encherem seus reservatórios de água, deficitários nos últimos 30 anos. Por outro lado, o vento Zonda, típico da região, causou danos significativos aos brotos que aparecem na primavera, reduzindo os rendimentos em muitas áreas.

Publicidade

Apesar de uma produção superior à do ano passado, as estimativas indicam que a colheita de 2024 será de 10% a 15% inferior à média regional. O norte da Argentina, especialmente os Vales Calchaquís, foi severamente afetado pelo Zonda, com perdas de até 30% relatadas por alguns produtores. Na Patagônia, as baixíssimas temperaturas no inverno e na primavera, acompanhadas de geadas intensas, também causaram prejuízos.

No verão, ondas de calor nas principais regiões vinícolas da Argentina impuseram desafios adicionais. As videiras interromperam a fotossíntese, resultando em diferentes níveis de maturação dentro de um mesmo vinhedo, com intervalos de colheita de até três semanas.

Apesar desses desafios, a qualidade das uvas colhidas em 2024 gera grande otimismo. A maturação lenta e prolongada promete vinhos de alta qualidade, tanto brancos quanto tintos.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.