Famosos e TV 'Usar a Justiça para silenciamento é violência processual', diz advogada da mãe de filha de Xamã

'Usar a Justiça para silenciamento é violência processual', diz advogada da mãe de filha de Xamã

A influenciadora Renata Gutierrez contou que recebeu uma intimação processual após dizer que o cantor é um pai ausente

  • Famosos e TV | Pedro Garcia, do R7

Resumindo a Notícia
  • Renata Gutierrez, mãe de filha de Xamã, diz que cantor entrou com processo contra ela.

  • Influenciadora afirma que cantor quer silenciá-la após ela dize

  • Advogada explica que essa movimentação pode ser enquadrada como violência processual.

Maria Cristina Câmara defende Renata Gutierrez em caso contra Xamã

Maria Cristina Câmara defende Renata Gutierrez em caso contra Xamã

Reprodução/Instagram

Renata Gutierrez, mãe de Hanna, de 2 anos, uma das filhas do cantor Xamã, recebeu a intimação de um processo movido pelo cantor. O artista entrou na Justiça após a influenciadora compartilhar um desabafo nas redes sociais, quando disse que o rapper era um pai ausente e não contribuía financeiramente para a criação da menina. Na última quinta-feira (18), Renata contou que Xamã entrou com um pedido para que ela não pudesse mais mencioná-lo publicamente, o que pode ser enquadrado como uma violência processual, um tipo de violência doméstica.

"Fui notificada há dois dias de uma ação onde o pai da minha filha quer o meu silenciamento. Não procurou saber da filha, não respondeu mais uma vez minha tentativa de um acordo pacífico. Mas, sim, com a imagem dele, ele se preocupou. Ainda não estou amordaçada, mas hoje se encerra o prazo para que eu me pronuncie sobre o pedido dele e minha advogada está trabalhando para tentar impedir que mais uma mulher seja silenciada", disse Renata na publicação mais recente.

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp
• Compartilhe esta notícia no Telegram

A influenciadora contou que contestou na Justiça o pedido de Xamã. Ela é representada por Maria Cristina Câmara, advogada que também defende Luana Piovani no processo contra Pedro Scooby, que explica que esse tipo de pedido para impedir uma mãe de citar o pai dos filhos publicamente é uma das formas de violência processual.

"A violência de processual, nesse caso, é a utilização do judiciário como uma ferramenta para violentar psicologicamente a mulher, para que ela se amedronte, recue e não continue buscando o que é de direito dos filhos. A violência processual é um tipo de violência doméstica contra a mulher, está prevista na Lei Maria da Penha", explica.

A advogada analisa que casos como os das clientes, Luana Piovani e Renata Gutierrez, e também de outras famosas, como Titi Müller e Karoline Lima, são apenas exemplos de uma situação que muitas mães vivenciam, mas apenas esses casos ganham notoriedade por envolver pessoas públicas. Ela também defende que, ao invés de entrar com um processo para calar a mãe dos filhos, seria mais fácil que pais como Xamã e Pedro Scooby tentassem resolver as questões em relação à criação dos filhos antes de entrar na Justiça contra as ex.

"É calar uma mãe que, por estar em desespero e não ter outra alternativa, fez uma menção na rede social e a resposta vem como um pedido de silenciamento. A gente costuma dizer que ela fica amordaçada para não conseguir se pronunciar", conclui.

O R7 entrou em contato com a assessoria de Xamã, mas não obteve resposta até a publicação. Caso o cantor se manifeste, o texto será atualizado.

Entenda o caso de Renata e Xamã

No último dia 7, Renata Gutierrez compartilhou um desabafo nas redes sociais e acusou Xamã de ser um pai ausente. Além disso, também afirmou que o cantor não ajuda financeiramente nos gastos de Hanna, de dois anos, e que ela já teria entrado na Justiça contra o rapper.

"Ninguém precisa falar para uma criança quem sempre esteve com ela, cuidando e zelando pela sua felicidade. Elas observam tudo e, quando crescerem, a ausência afetiva não fará mais diferença. Um filho sabe exatamente quem se faz presente por amor e dedicação, e quem não é presente. Tenho muita pena de quem não valoriza os filhos hoje, porque amanhã eles serão o único elo que sobrará quando o orgulho der lugar à solidão", começou Renata em seu desabafo.

Renata disse sofrer com a ausência de Xamã e com a falta de apoio dele, que vem desde quando estava grávida de Hanna. Ela revelou que entrou na Justiça contra o artista em 2022 e continua em um embate contra ele para conseguir suporte na criação da garota.

"Desde a minha gestação, passei por tudo sozinha, desde consultas médicas até de fato o dia de ter a Hanna. Zero suporte emocional e financeiro. Sempre essa luta pelo mínimo. Para minha filha ser registrada em cartório, demorou meses, e só foi feito através de ameaças de alienação parental. Desde então, dá para contar nos dedos os dias em que a Hanna teve contato com o pai, a não ser quando tem algum feriado ou ele faz alguma parceria e quer vender uma imagem da pessoa que ele não é, como foi agora na Páscoa. Enfim, é uma pessoa extremamente narcisista e egoísta, e toda vez que cobro alguma responsabilidade paterna, se não aceito os termos 'ser pai quando quero, não posso pagar ou ajudar', eu que me torno a pessoa ruim. Ele não é só dublê de marido, é dublê de homem, de pai e sofre de um extremo desvio de caráter", contou.

A influenciadora disse que já tentou contato com Xamã por diversas formas, inclusive com os advogados e a equipe dele, mas nunca consegue um retorno. Ela também falou que em dois anos nunca quis trazer esse assunto a público, mas não enxerga mais alternativa para conseguir resolver essas questões.

"O Geizon [nome de registro de Xamã] nunca esteve presente para nada, o total de vezes que ele esteve com a Hanna foi de 15 vezes em quase dois anos. Quantas vezes que a Hanna ficou doente e eu fui de Uber na madrugada levar ela para o hospital e, quando eu avisava ele e ele respondia, o suporte era mandar o motorista levar, enquanto estava postando festa e rolê na casa dele. Eu sempre tentando alinhar meus horários com a agenda dele, que eu entendo que é mais complexa que a nossa, por algumas vezes ele até tentou ser um pai, porém continua falhando por falta de comprometimento", finaliza.

Éder Militão e Karoline Lima puxam lista de famosos que já brigaram por pensão

Últimas