Quem pedala sempre alcança!

Responsável pelas pedaladas fiscais e por 11 trimestres de recessão, Dilma Rousseff é eleita a Mulher Economista de 2023

Dilma sofreu impeachment em 2016

Dilma sofreu impeachment em 2016

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Mesmo sabendo que o Brasil não cansa de produzir bizarrices e até exportá-las para o mundo afora, jamais imaginamos que um dia escreveríamos a frase a seguir: Conselho Federal de Economia e os Conselhos Regionais de Economia elegeram a “ex-presidentA” Dilma Rousseff como “Mulher Economista de 2023”.

Segundo a opinião dos ilustres conselheiros dos órgãos supra citados, nossa eterna musa da estocagem de vento e rainha-mãe da saudação da mandioca mereceu o prêmio “por sua significativa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do país ao longo de sua carreira”. Mano do céu!

Os caras estão falando da “presidentA” que protagonizou 11 trimestres de recessão e que regeu o país com sua genialidade de “mulher sapiens” durante a maior crise econômica da história do Brasil. Aliás, uma crise pior do que a provocada pelos anos de Covid-19. Até porque, que vírus poderia ser pior, não é mesmo?

Trata-se da mesma pessoa responsável pelas pedaladas fiscais, que são nada mais, nada menos, do que manobras contábeis nas contas públicas para ludibriar os desavisados.

Por fim, para quem ainda não ligou o nome à pessoa, os caras premiaram a “presidentA” que sofreu impeachment justamente por conta das tais pedaladas.

Esse é o Brasil que eu quero (que eu quero acordar e descobrir que tudo não passou de um pesadelo...)!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas