Alec Baldwin diz que campanha antirracista é 'dia de qualquer coisa'

Ator foi duramente criticado nas redes sociais; "Como uma mulher negra e uma grande fã, estou realmente decepcionada", disse seguidora

Alec Baldwin não deu bola para protesto antirracial

Alec Baldwin não deu bola para protesto antirracial

Reprodução/Instagram

Alec Baldwin provocou uma grande polêmica nas redes sociais, nesta terça-feira (2), ao se referir à campanha #BlackOutTuesday como "Dia Nacional de Qualquer Coisa". 

O ator divulgou no Instagram que o podcast desta terça é com o diretor Woddy Allen. Fãs o criticaram pelo fato de ele escolher justamente a data, em que milhares de artistas do mundo inteiro decidiram "se desconectar do trabalho" como resposta à morte de George Flody, nos Estados Unidos, para trabalhar.

Seguidores também o apontaram pela escolha do entrevistado, o cineasta Woody Allen, que já foi acusado de ter abusado sexualmente de sua filha adotiva.

Baldwin respondeu às críticas ao jornal Daily Mail. "Quanto à falta de sensibilidade percebida no #BlackOutTuesday, eu não fazia ideia sobre esse... Dia Nacional de Qualquer Coisa", disse. "A vida profissional de algumas pessoas não pode ser suspensa pelos caprichos do politicamente correto. Acredito que Allen é inocente e esse é meu direito. Postar uma tela preta hoje ou em qualquer outro dia, embora seja um sentimento decente, não é uma postura política eficaz", completou o ator.

O ator foi duramente criticado nas redes sociais. "Como uma mulher negra e uma grande fã, estou realmente decepcionada", disse uma seguidora. "Estou fora, você está surdo e é o resumo do privilégio branco", exclamou outra.