Melhor Não Ler Mãe dá aula de socialismo e é eleita professora do ano

Mãe dá aula de socialismo e é eleita professora do ano

Dona de casa e mãe de duas adolescentes ganha prêmio pela melhor explicação sobre o socialismo

Mãe mostrou para filha que não existe dinheiro sem esforço

Mãe mostrou para filha que não existe dinheiro sem esforço

Gerd Altmann/Pixabay

Cansada de ouvir a filha mais velha reclamar do capitalismo – mas querer um iPhone novo a cada ano – de chamar o pai de mercenário por ter uma empresa lucrativa – de onde vem todo o sustento de sua família – e de ser chamada de anulada e subserviente por ser dona de casa, Justina Ferreira decidiu que ensinaria, na prática, o que é o socialismo.

Após o almoço de domingo, Justina permitiu que a filha mais nova, de 13 anos, fosse ao cinema com as amigas, mas pediu à mais velha, de 14, que ficasse em casa e lavasse toda a louça. Como qualquer adolescente típica, ela se recusou e ainda ameaçou quebrar todos os pratos caso a mãe não a deixasse sair. Foi aí que Justina viu a oportunidade de ouro para colocar sua aula prática em ação.

“Se você lavar toda a louça eu lhe dou R$ 100. Se secar e guardar lhe dou mais R$ 50. E se varrer a cozinha e passar pano, dou mais R$ 50”, propôs a mãe. Para continuar sendo do contra, a filha disse que lavaria apenas a louça porque “não era escrava de ninguém”.

Porém, pensando no que poderia fazer com R$ 200, a garota também completou as demais tarefas. Quando terminou, a mãe pegou R$ 200 na carteira, mas lhe deu apenas R$ 100, dizendo que os outros R$ 100 seriam dados à irmã mais nova, assim que voltasse do cinema.

“O quê? Tá louca, mãe?”, protestou a garota literalmente chutando o balde que se espatifou na parede. “Ela não fez nada, nem sequer está aqui! Tá lá curtindo filme enquanto eu me matei nessa cozinha. De jeito nenhum eu vou dividir o ‘meu’ dinheiro com ela!”

Diante do ataque da filha, a mãe manteve a calma e, com voz suave replicou: “Filha, socialismo é isso: dividir o fruto do seu trabalho com quem não fez nada nem sequer tem ideia do esforço que precisou ser feito. Toma aqui R$ 60, os outros R$ 40 vão ser usados na compra de um balde novo.”

Diante de tal didática, a garota aprendeu três lições: que socialismo não é sinônimo de justiça, que depredar patrimônio é tirar dinheiro do próprio bolso e que discurso vazio é coisa de hipócrita. De quebra, ela pegou suas camisetas do Che Guevara para usar como pano de chão nas próximas limpezas.

Essa crônica é uma ficção, mas poderia não ser…

Últimas