A história da França contada por meio da Gastronomia

Stéphane Hénault e Jeni Mitchell se debruçaram em pesquisas e visitaram restaurantes

Livro permeia histórias da culinária

Livro permeia histórias da culinária

Divulgação

É incrível como a culinária pode dizer tanto sobre uma nação, explicar seus hábitos e contextos históricos. Por isso, temperos, aromas e sabores são muito mais que simples termos do vocabulário de um chef estrelado. “A Deliciosa História da França”, lançamento da editora Seoman, mostra, justamente, como se deu esse percurso no país reconhecido pelas suas centenas de queijos e vinhos.

Ao investigar as origens de diversos alimentos típicos franceses, os autores fazem um passeio diferente e agradável pelo panorama histórico da França.
Escrito pelo casal Stéphane Hénault, um especialista em queijos franceses, e Jeni Mitchell, uma intelectual norte-americana, Ph.D, o livro nasceu da vontade de ambos em reunir narrativas em torno da alimentação quando Hénault passou a apresentar as variedades de queijos para Jeni e a descobrir mais  novidades sobre essas iguarias.

Para desenvolver esta obra, o casal visitou restaurantes, se debruçaram sobre livros de referência e em diversas pesquisas.

Em “A Deliciosa História da França”, o leitor descobrirá, por exemplo, que antigamente os cidadãos franceses preferiam a cerveja ao vinho, que os gauleses foram os responsáveis para trazer para o país o barril de madeira – sem o qual não poderíamos apreciar muitas bebidas alcóolicas do modo como fazemos hoje –, que, desde o reinado de Carlos Magno, a apicultura era um grande investimento e que cozinhar com manteiga era considerado hábito dos bárbaros e incivilizados.
Ao longo do texto, carregado de muito humor, os autores apresentam os ancestrais gauleses, a dominação romana, os ataques dos vikings, entre outras importantes passagens históricas da França, para detalhar a origem de diversos insumos gastronômicos.

Mostram, nessa trajetória, diversas curiosidades, entre as quais: como o cassoulet ajudou os franceses a vencerem uma guerra, como o crepe (sim, o crepe) derrotou Napoleão, além das origens de queijos famosos como o Roquefort, o Camembert e o Chabichou, sem esquecerem também da história por trás do surgimento de vários tipos de vinhos, do croissant e do absinto, é claro.
Uma obra que nos dá vontade de viajar e desvendar não só os sabores das grandes cidades, mas, também dos pequenos vilarejos. “A Deliciosa História da França” é uma leitura surpreendente até para os mais experientes amantes da culinária e da cultura europeia.  

“A Deliciosa História da França”
416 páginas
R$ 64
Editora Soleman