Clarice Lispector ganha box com 18 livros e exposição

Para além das capas, os livros contam com posfácios escritos por grandes especialistas da literatura Clariceana

Cada capa é ilustrada com uma pintura feita por Clarice Lispector

Cada capa é ilustrada com uma pintura feita por Clarice Lispector

Divulgação

O dia 10 de dezembro marca o encerramento do centenário de Clarice Lispector. Para fechar as comemorações (muitas tinham sido adiadas por conta da pandemia), teremos uma programação de lançamentos, exposições e filmes para a data.

A Editora Rocco lançará um box especial e em edição limitada com a obra completa da escritora. Contendo 18 livros (R$ 699, o box completo), que vão desde o seu romance de estreia "Perto do Coração Selvagem" até o último publicado "A Hora da Estrela", cada capa é ilustrada com uma pintura feita por Clarice, que pintou 22 quadros ao longo de sua vida.  O projeto gráfico é assinado pelo premiado designer Victor Burton. 

Para além das capas, os livros contam com posfácios escritos por grandes especialistas da literatura Clariceana como Nádia Battella Gotlib, Clarisse Fukelman, Benjamin Moser, Aparecida Maria Nunes, Ricardo Iannace, Marina Colasanti, Eucanaã Ferraz, Teresa Montero, Arnaldo Franco Junior e próprio filho da autora, Paulo Gurgel Valente, que excepcionalmente escreveu sobre seu último livro, “A Hora da Estrela”.

Além do lançamento, a data conta com extensa programação em homenagem à escritora.  A exposição "La Maison de Clarice" - Embaixada da França no Brasil, conta com curadoria da escritora Guiomar de Grammont, professora da Universidade Federal de Ouro Preto, e de Vincent Zonca, Léo Le Berre e Roberto Pedretti do Escritório do Livro e do Debate de Ideias da Embaixada da França no Brasil. A exposição "La Maison de Clarice" traça um paralelo entre a vida e a obra da escritora e de suas contemporâneas, Marguerite Duras e Nathalie Sarraute. Valeria Neno realizou a concepção artística e cenográfica, Hiti Foresti a cenografia e montagem e Valter Fadel, o design gráfico.
 
A comparação entre Clarice Lispector, Marguerite Duras e Nathalie Sarraute é natural, pois elas se encontram no cerne da experimentação romanesca que conhecemos no século 20, sendo fonte privilegiada de inspiração e influência para autores e leitores de todas as partes do mundo. Suas escritas literárias são muito diferentes entre si, porém, guardam algumas semelhanças fundamentais que permitem um olhar aproximativo sobre suas obras.

Consulado da França no Brasil (Bibliomaison 11°andar) Casa Europa - Av. Pres. Antônio Carlos, 58 - Centro, Rio de Janeiro.

Últimas