Ligia Braslauskas Literatura Emílio Figueira lança obra voltada aos amores dos cinquentões

Emílio Figueira lança obra voltada aos amores dos cinquentões

Em novo folhetim gratuito, Figueira volta à sua literatura utópica, apontand possibilidades de novas conquistas e dias melhores na meia-idade

Divulgação

Pessoas já cinquentonas colocam-se em movimento rumo aos seus amores ainda não vividos, sejam eles materiais, amorosos ou existenciais. Esse é o enredo de “Os Amores Que Não Vivi - Ressignificando a Vida aos 50!”, novo romance de Emílio Figueira, que está no Wattpad, plataforma mundial de leituras gratuitas.

Almir, um homem que sempre foi solitário e melancólico, tem seu caminho cruzado por Adriana, alta executiva de uma multinacional que não teme novas descobertas e mudanças radicais, recuperando sonhos de adolescência. José Renato, amigo de infância de Almir, é dono de uma empresa de móveis planejados, realizado no casamento e com bons filhos, ao perceber que já foi bem-sucedido nas tarefas da primeira metade da vida - estudo, trabalho e família -, tem o desejo interno de novos desafios, recanalizando toda sua energia, cursando uma faculdade e iniciando-se nas letras. Morielle, após anos de sofrimentos calada, joga tudo para o alto, recomeçando do zero em uma cidade distante, redescobrindo-se e valorizando sua autoestima enquanto mulher. E entre eles está Cátia, a terapeuta holística, amiga e conselheira para qualquer momento.

“O caminhar de todos eles mostra que qualquer pessoa que esteja insatisfeita com sua vida, mesmo após os cinquenta anos de idade, ainda com tanta energia e com tantos diferentes tipos de amores para se viver, pode mudar sua realidade, desde que ela tenha objetivo, planejamento e, principalmente, que saia da zona de conforto e se coloque em movimento rumo ao desconhecido e infinitas possibilidades de novas realizações pessoais”, conta Figueira.

Por causa de uma asfixia durante o parto, Figueira adquiriu paralisia cerebral em 1969, ficando com sequelas na fala e movimentos. Nunca se deixou abater por sua deficiência motora e vive intensamente inúmeras possibilidades. Nas artes, no jornalismo, é autor de uma vasta produção científica, é psicólogo, psicanalista e teólogo independente.

Como escritor é dono de uma variada obra em livros impressos e digitais, passando de 70 títulos lançados. Hoje com cinco graduações e dois doutorados, Figueira foi professor e conferencista de pós-graduação, principalmente de temas que envolvem a Educação Inclusiva.

Últimas