Ficção LGBTQIAP+ que inspira a autodescoberta

Em "Meu Gato me Odeia", leitor acompanha a história de Sâmia, que busca descobrir a sexualidade e enfrenta dilemas da adolescência

Livro desperta temas sobre sexualidade

Livro desperta temas sobre sexualidade

Divulgação

Depressão, preconceito, sexualidade e conflitos familiares são alguns dos temas que a publicitária Julia Rietjens trata no romance “Meu Gato Me Odeia”. A personagem principal, Sâmia, é uma adolescente que está descobrindo a si e ao mundo, mas as coisas ficam mais complicadas quando entende a própria sexualidade: ela é lésbica.

Com um coração balançado por uma nova amiga e dilemas da adolescência, a autora paulista representa Sâmia como a força que todos podem encontrar dentro de si e um lembrete sobre a importância de ter apoio, mesmo que seja de um bicho de estimação intempestivo chamado Tirano.

“Congelada, cheguei à conclusão de que não ligaria se meu primeiro beijo fosse com ela e isso me assustou. Era um sentimento errado, não era? Eu não frequentava a igreja, mas minha mãe vivia dizendo que Deus fez o homem e a mulher para ficarem juntos.”
 (“Meu Gato Me Odeia”, pg. 69)

Inspirado em romances LGBTQIAP+ como “Heartstopper”, “O Amor Não É Óbvio”, “Ela Fica Com a Garota” e “Céu Sem Estrelas”, Julia desenha a descoberta sexual da protagonista com obstáculos como o fato de ter uma mãe religiosa, o que torna o processo da autoaceitação mais difícil. A dificuldade de conviver com a homofobia no ambiente familiar e, após ser expulsa de casa, restam apenas incertezas. A história é entrelaçada entre o conhecimento da própria sexualidade, o divórcio conturbado dos pais e o primeiro beijo. Fatos que são amarrados enquanto Sâmia amadurece e lida com as próprias questões, medos e paixões.

“Meu Gato Me Odeia”
276 páginas
R$ 59,90
Independente

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas