Conway Twitty — o rei das 'cheating songs'

Rock, country, beisebol e canções sobre adultério, Conway Twitty é uma das figuras mais emblemáticas da country music americana

  • Toque Toque | LEO VON, do R7

Conway Twitty

Conway Twitty

Conway Twitty

Minha história como fã de Conway Twitty não é nada ortodoxa. A primeira vez que o vi e ouvi foi num episódio do desenho animado Family Guy. Achei hilário aquele topete de dar inveja ao Ace Ventura. A gravação do vídeo era claramente dos anos 70. Sua voz e estilo eram uma mistura de Roy Orbison com Elvis Presley, quase que uma caricatura dos ídolos da década de 50, que já estavam defasados em 1970. A música era muito boa. I See the Want to in Your Eyes. Era 100% country music de um jeito bem cafona, mas com um apelo extremamente magnético. A piada do Family Guy era sair de um assunto controverso cortando a imagem para algo sem nenhuma ligação com a trama do episódio. Peter Griffin, personagem principal, anunciava: “Senhoras e senhores, o Sr. Conway Twitty”.

Harold Jenkins

Conway Twitty nasceu Harold Lloyd Jenkins, em 1933, na cidade de Friars Point, no estado do Mississippi, mas sua família se mudou para Helena, no Arkansas, quando ele tinha 10 anos de idade. Lá Conway montou seu primeiro grupo vocal e mais tarde teve seu próprio programa numa rádio local. Apesar de apaixonado por música, também era jogador de beisebol e foi convidado para integrar o time Philadelphia Phillies logo após concluir o ensino médio, mas não pôde ir, pois foi chamado para o Exército, onde serviu no extremo Oriente. Ali, também fez o melhor proveito da situação e montou o grupo Cimmerons, para entreter seus colegas soldados. O Exército e o topete não foram as únicas semelhanças dele com Elvis. Após ouvir a gravação de Mystery Train é que ele resolveu definitivamente tornar-se músico.

Nos mesmos estúdios que Elvis fez seus primeiros sucessos, o então jovem Harold Jenkins gravou suas músicas, todas no estilo do recente rock'n'roll, sob o direcionamento do dono e fundador da Sun Studios, Sam Phillips, que também produziu Carl Perkins, Johnny Cash, Jerry Lee Lewis, Roy Orbison e, claro, Elvis Presley. Nenhuma música foi lançada nesse período, exceto uma composição de sua autoria, Rockhouse, que foi gravada por Roy Orbison.

Nasce Conway Twitty

Capa da coletânea "It's Only Make Believe"

Capa da coletânea "It's Only Make Believe"

Conway Twitty

Jenkins percebeu que Harold não era um nome inesquecível para se firmar no show business. Então, segundo o jornalista Fred Bronson, da Billboard, enquanto Harold procurava seu novo nome artístico, ele se deparou num mapa com Conway, Arkansas, e Twitty, Texas, e assim nasceu Conway Twitty. Após mudar de gravadora, ainda buscando seu lugar ao sol, o roqueiro grava It’s Only Make Believe, lado B de seu single I’ll Try, e alcança seu primeiro número 1 em 21 países, com 4 milhões de discos vendidos, em 1958. Mesmo com esse sucesso, muitas pessoas achavam que era Elvis Presley cantando e que ele estava usando o pseudônimo de Conway Twitty. Mas isso não impediu que o cantor aproveitasse a boa fase e emplacasse diversos outros hits em sua fase rock'n'roll.

Country music

Capa do disco 'Hello Darlin'

Capa do disco 'Hello Darlin'

Conway Twitty

Em 1965 ele decidiu que seria um artista country. Seus primeiros lançamentos sofreram muito com a recusa dos DJs de country music a tocarem seu novo trabalho por ser associado ao rock. Foi só em 1968 que voltou a fazer sucesso com Image of Me e em seguida Next in Line, seu primeiro hit número 1 na country music.

Em 1970 lançou seu maior sucesso, Hello Darlin, que ficou quatro semanas no topo das paradas de sucesso dos EUA.

Depois de Family Guy fui atrás do cara. Quem era ele afinal? Quais eram suas músicas mais conhecidas? Para minha surpresa, uma das minhas faixas preferidas da rádio K-Rose do jogo de videogame GTA San Andreas (leia aqui), Louisiana Woman, Mississippi Man era dele em dueto com Loretta Lynn. Ele não era uma “piada”, diferente do que havia pensado inicialmente.

Conway and Loretta

Mas foi com sua parceria em dueto com a cantora já consagrada Loretta Lynn que ele conseguiu o reconhecimento da crítica e da comunidade da country music americana. After the Fire Is Gone, de 71, foi o primeiro, e muitos outros vieram logo em seguida, incluindo Louisiana Woman, Mississippi Man. Os prêmios não paravam de vir, e ganharam 4 CMA Awards (prêmio da Associação Country Americana) consecutivos como melhor dupla.

Adeus, topete

Conway Twitty nos anos 50 e nos anos 80

Conway Twitty nos anos 50 e nos anos 80

Conway Twitty

Do final dos anos 70 até o fim de sua vida, abandonou seu topete estilo “Pompadour”, investiu nos cachos estilo Ovelha (o cantor não, o ovino) e se entregou ao country pop. Bom, seus próximos 23 singles lançados consecutivamente chegaram TODOS ao Top 10 das paradas country, sendo que 13 deles chegaram ao primeiro lugar.

O legado de Conway

Ele faleceu em 1993, aos 59 anos, após passar mal depois de um show em Branson, Missouri, devido a um aneurisma da aorta abdominal. O que me deixa abismado é que ele foi um dos pouquíssimos gigantes do estilo que não foi membro do Grand Ole Opry, a meca da country music. Mas, mesmo assim, sua contribuição ao gênero, além de sua carreira artística, foi significativa. Serviu no conselho de diretores do canal CMT (Country Music Television) e criou o Twitty City, um complexo de entretenimento de country music que custou 3,5 milhões de dólares.

Sua personalidade inspirou personagens de Petter Seller, do filme Bye Bye Birdie, fez diversas “aparições” no desenho Family Guy, e mais recentemente na série The Righteous Gemstones, da HBO, em que o personagem Jesse, de Danny McBride, é uma claríssima homenagem ao estilão de Conway Twitty.

O Sr. Twitty foi uma máquina de fazer sucessos, desde o country, pop, romântico, até o rock'n'roll. Seu legado, sua voz, seu “charme”, topetes e canções sobre adultério o tornaram inesquecível, icônico e o verdadeiro rei das “cheating songs”.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas