Logo R7.com
Logo do PlayPlus
DiFato Tudo Importa
Publicidade

Inverno x saúde vocal: veja dicas de ouro para evitar transtornos nos próximos meses

Com hidratação adequada, proteção contra mudanças bruscas de temperatura e hábitos saudáveis, é possível atravessar a estação mais fria do ano sem comprometer a saúde vocal

DiFato Tudo Importa|Dionisio FreitasOpens in new window


Cuidados com a voz no inverno Imagem criada por IA via Freepik

Oficialmente, o inverno começa na próxima sexta-feira (21) e, como você já notou, estamos passando por diversas instabilidades climáticas que podem afetar nossa saúde, especialmente a garganta e a voz. Nos últimos dias a combinação de ar frio, dias quentes, secos e ambientes fechados criaram para muitos de nós um cenário perfeito para irritações e infecções. Quem não está sentindo a garganta coçar ou a congestão nasal?

A voz, que é nossa principal ferramenta de comunicação, é a primeira a sentir essas mudanças. Surge a rouquidão, dificuldade de fala e, consequentemente, dificuldades em manter a rotina. É um período bem chato, com muitas visitas ao médico, corpo mole e a eterna pergunta sobre o que fazer para melhorar.

O que fazer para manter a saúde vocal?

Bem, a lista não é muito longa, o segredo é hidratação para manter a garganta e as cordas vocais em bom estado. Umidificar o ambiente é outra ferramenta, pois o ar pode ficar muito seco. Usar um umidificador ajuda a manter as mucosas da garganta hidratadas, reduzindo o risco de irritações.

Publicidade

Ter uma roupa de frio ou um cachecol sempre à mão. Manter uma dieta rica em frutas cítricas, vitamina C, que ajudam a prevenir gripes e resfriados. E, claro, procurar um especialista é essencial.

Durante minha recente cobertura jornalística sobre as enchentes no Rio Grande do Sul tive, por conta da variação climática, diversos problemas com a minha voz. Procurar um especialista foi determinante para continuar levando informação sem perder a saúde.

Publicidade

Por conta de tudo isso e para te ajudar a não perder a saúde vocal, o DiFato, Tudo Importa entrevistou a fonoaudióloga, neurocientista, mestre e doutora em saúde Vanessa Pedrosa.

Vanessa Pedrosa cuida das vozes de apresentadores, repórteres e atores da Record. Antonio Chahestian

Drª Vanessa traz uma série de dicas e responde aos questionamentos de nossos leitores que enviaram perguntas sobre o tema:

Publicidade

Qual o maior erro cometido pelas pessoas com relação à saúde da voz nessa época do ano?

O maior erro cometido pelas pessoas em relação à saúde da voz durante o inverno ou em épocas de mudanças climáticas é a falta de hidratação adequada. Muitas pessoas não percebem que, mesmo no frio, o corpo continua a necessitar de uma boa quantidade de água para funcionar bem. A água promove um melhor funcionamento da voz e como consequência da fala.

O que fazer para minimizar os danos provocados pelo tempo?

Temos três formas de hidratar os órgãos responsáveis pela produção da voz: de maneira sistêmica, de maneira local e ambiental.

A hidratação sistêmica é a quantidade de água em tomamos para que o corpo funcione direito. A prega vocal é um músculo muito pequeno e sensível que produz o som da voz e todo músculo precisa de água para funcionar. Qualquer variação vai provocar grandes respostas no funcionamento. Então, é importante tomar muita água ao longo do dia para manter todo o corpo funcionando corretamente.

A hidratação local é manter a região da boca e da laringe umedecida para funcionar bem. É como o do motor de um carro que precisa do óleo para reduzir o atrito entre as peças e funcionar bem. A laringe precisa estar bem úmida para não sofrer traumas e causar machucados como os nódulos e pólipos.

A terceira forma de hidratação é a ambiental. O tempo seco, os ambientes com ar-condicionado ou com aquecedores causam um ressecamento no ar, o que também prejudica a prega vocal e a voz.

O ressecamento das pregas vocais pode ter um impacto negativo na qualidade da voz como rouquidão, cansaço vocal, dificuldade de projetar a voz e sensação de desconforto quando tiver que falar um pouco mais e risco de machucados na prega vocal.

O ressecamento das pregas vocais causa diversos efeitos negativos na voz. Manter uma boa hidratação e adotar medidas preventivas são essenciais para garantir a saúde vocal e evitar problemas a longo prazo. Se você notar sintomas persistentes de ressecamento ou alterações na voz, é importante consultar um especialista, como um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo, para uma avaliação e tratamento adequados.

Assim, tome água constantemente para manter as 3 formas de hidratação equilibradas no corpo e na voz.

Para minimizar os danos provocados pelo tempo, algumas medidas podem ser adotadas:

Umidificar o ambiente com umidificadores de ar, proteger o pescoço da exposição ao frio usando cachecol, echarpes, roupas de gola alta. Descansar a voz após o uso intenso. Evitar tomar bebidas muito geladas quando estiver com o tempo frio. Para os profissionais da voz, é importante também fazer exercícios vocais de aquecimento para reduzir o esforço da fala.

Quem passou por cirurgia de retirada de amígdalas pode sofrer também de problemas vocais durante o inverno, ou durante mudanças climáticas?

As amígdalas são tecidos linfoides que ficam no fundo da garganta. Uma busca atual pela literatura no PubMed (um site de busca de pesquisas científicas de alto valor) encontramos estudos que mostram a correlação entre a cirurgia e o aumento de doenças respiratórias e estudos que discordam desse resultado mostrando não haver esse tipo de alteração.

Sabemos que para muitas pessoas a remoção das amígdalas é, sim, indicado por problemas de obstrução respiratória, dificuldade para engolir, dificuldade para mastigar e aumento de nasalidade.

Estudos recentes mostram que não há interferência significativa na voz das pessoas que retiraram as amígdalas, inclusive em cantores. Portanto, para quem retirou as amígdalas e observa a predisposição para o aumento de problemas vocais orientamos aumentar os cuidados com a higiene vocal, fazer exercícios de aquecimento vocal, evitar e exposição a ambientes muito secos ou poluídos, não abusar da voz gritando ou falando alto demais por longos períodos.

Todas essas estratégias comprovadamente ajudarão na prevenção de problemas vocais, especialmente de pacientes com tendências a serem mais sensíveis.

Gargarejos de água e sal ajudam a manter a saúde vocal? Ou isso é mito? Por quê?

Gargarejos de água morna e sal ou água morna e bicarbonato de sódio ajudam quando o paciente apresenta muito catarro na região do nariz e da garganta. O catarro sai com mais facilidade quando entra em contato com o líquido. Tanto o sal quanto o bicarbonato ajudam como antissépticos para matar as bactérias que estão fazendo mal. A água morna aumenta a irrigação sanguínea e consequentemente reduz a inflamação. Esse recurso não é uma solução definitiva para tratar os problemas de voz. O efeito do gargarejo é temporário. Quando o indivíduo apresentar qualquer quadro de dor de garganta é importante consultar o médico para tratamento correto.

Pela manhã a voz acorda diferente nessa época do ano? Qual o motivo? Aquecê-la evita danos?

Sim, é comum que a voz acorde diferente nessa época do ano. Durante a noite, as cordas vocais podem ficar ressecadas devido à condição seca do tempo, uma possível respiração pela boca ou o uso de aquecedores. Além disso, a produção de muco pode aumentar durante a noite, causando uma sensação de voz “grossa” ou “presa”.

Aquecer a voz pela manhã pode ajudar a evitar danos, pois prepara as cordas vocais para o uso diário. Exercícios vocais leves, como humming, vibração de lábios ou língua e escalas vocais suaves, podem ser eficazes. Você também pode melhorar a condição de umidade do ar utilizando bacias de água no quarto, toalhas molhadas ou umidificadores para melhorar a condição do ar respirado no quarto.

Perdi a voz, fiquei rouco, o que fazer?

Se você perdeu a voz ou ficou rouco, siga estas recomendações:

  • Busque a causa. Ela pode ser por motivo de gripes ou resfriados, por uso vocal intenso ou alguma outra doença. É necessária uma consulta com um otorrinolaringologista.
  • Descanso Vocal: Evite falar, sussurrar ou forçar a voz.
  • Hidratação: Beba bastante água para manter as cordas vocais hidratadas.
  • Umidificação: Use umidificadores de ar para manter o ambiente úmido.
  • Evite Irritantes: Fique longe de fumaça, poeira e outros irritantes. Não fume.
  • Consulte um Especialista: Se a rouquidão persistir por mais de duas semanas, consulte um otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo.

Qual seria a dica de ouro dada pela fonoaudióloga?

A dica de ouro dada pela fonoaudióloga seria: “Cuide da sua voz como você cuida do seu corpo. Mantenha-se hidratado, evite abusos vocais e procure orientação profissional ao menor sinal de problema.” A voz é uma ferramenta preciosa e merece atenção e cuidados constantes para garantir sua saúde e longevidade.

Nunca se esqueça:

O cigarro é um dos maiores vilões para a saúde da garganta e da voz e nessa época do ano ele potencializa os problemas ligados às vias respiratórias.

Para quem usa a voz de forma profissional, exercícios de aquecimento vocal são essenciais. Seu especialista pode trazer uma série de exercícios que se adequam as suas necessidades e rotina.

Manter a saúde da garganta e da voz no inverno exige cuidados diários. Para mais dicas siga @vanessapedrosafono no Instagram.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.