Inezita Barroso e os seus seis figurinos

Nos primeiros anos da TV Record, os musicais também tiveram um papel importante na grade da emissora.

Com custo relativamente baixo, os musicais eram o tipo de programa que agradava a todos e fazia sucesso justamente por reunir as grandes estrelas do rádio e os cantores mais famosos do momento. E foi nessa onda que a TV Record surfou desde sua inauguração.

Como já contamos aqui, Blota Júnior e Sandra Amaral apresentavam o programa Grandes Espetáculos União, patrocinado pelo Açúcar União, pelo qual passaram astros internacionais, como Louis Armstrong, Sarah Vaughan e Marlene Dietrich. Era uma produção elaborada e de bom gosto para atender um público qualificado e que sabia o que havia de melhor na música.

Inezita Barroso no programa 'Vamos Falar de Brasil'

Inezita Barroso no programa 'Vamos Falar de Brasil'

Arquivo Record

Hélio Ansaldo comandava o Astros do Disco. Grande Otelo e Norma Bengell conduziam Senhor Ritmo. Já João Batista Pipa do Amaral, cunhado de Paulo Machado de Carvalho, era o responsável pelo Show 713. Mas um grande sucesso era o Vamos Falar de Brasil, comandado por Inezita Barroso, a primeira contratada do Canal 7 junto com Dorival Caymmi, Silvio Mazzuca e Izaurinha Garcia.

O roteiro era simples. O programa trazia seis canções interpretadas ao vivo em cenários diferentes, desenhados na hora por Manoel Victor Filho e trocados ao fim de cada música.

Tudo sincronizado. No fim de cada canção, as imagens se fundiam, e surgia uma nova ambientação. O mais ousado era o figurino, elaborado especialmente com base nas letras das músicas. Durante os 30 minutos da atração, Inezita trocava de roupa no palco, sem que o telespectador percebesse. Assim, em todo início de música ela estava com um traje diferente.

Inezita Barroso no programa 'Vamos Falar de Brasil'

Inezita Barroso no programa 'Vamos Falar de Brasil'

Arquivo Record

O segredo estava no início do programa. Ela iniciava a noite com os seis figurinos e, discretamente, puxava as peças para fazer novas combinações. Às vezes, em uma transformação mais radical, ela recorria a adereços ou acessórios.

Inezita entrava no estúdio gordinha e, quando a câmera fechava em close, tirava uma parte da roupa sem ninguém perceber, porque não parava de cantar nem fazia caretas.

Recorda Nilton Travesso no livro 'Biografia da Televisão Brasileira', de Flavio Ricco e José Armando Vanucci, ed. Matrix, 2017

O programa Vamos Falar de Brasil deu título a um dos discos de Inezita Barroso, em 1958. A atração ficou no ar até 1962.

Inezita Barroso na Rádio Record.
Inezita Barroso na Rádio Record. Arquivo Record

No próximo post: A criançada ganha o Pullman Junior.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas