Keila Jimenez Brasileiro passa quatro horas a mais na internet agora, diz pesquisa

Brasileiro passa quatro horas a mais na internet agora, diz pesquisa

Segundo dados de pesquisa realizada pela Ericsson, aumento do consumo de internet fixa no país foi maior que o da média global

Brasileiro é um dos que mais fica na internet na pandemia

Brasileiro é um dos que mais fica na internet na pandemia

Reprodução

A Ericsson acaba de divulgar uma uma pesquisa sobre o comportamento de consumidores de 11 países durante a pandemia do novo coronavírus – entre eles, do Brasil. Segundo a empresa, no consumo global de internet fixa teve um aumento de cerca de duas horas e meia durante a pandemia.

Já no Brasil, o aumento foi dobrado. O aumento do consumo de internet fixa no país durante a pandemia foi de quatro horas diárias.

Já na Internet móvel, o consumo do País ficou atrás da média mundial: houve alta de meia hora na navegação 4G do brasileiro, contra média de uma hora no consolidado dos mercados. De forma geral, 92% dos brasileiros ouvidos (mil consumidores durante o mês de abril) declararam ter aumentado a navegação desde o início da pandemia, contra 87% globalmente.

Segundo dados da pesquisa,  a rede fixa é considerada mais importante que a móvel para o consumidor brasileiro durante a crise.

E a vida mudou para os brasileiros no período. 

Entre os entrevistados, 26% declarou a adoção de novas práticas nas Internet durante o período: entre os hábitos que cresceram estão o consumo de vídeos (comum para 72% da base), a realização de chamadas de vídeo (61%) e o consumo de games (42%) ou de webcasts (32%).

A Ericsson também identificou crescimento de 5.069% no tempo gasto em plataformas de videoconferências como Zoom, Teams e Hangouts. Em ferramentas educacionais, o salto foi de 340%; em soluções de saúde, houve alta de 171%; e em serviços de delivery, de 51%.

Últimas